Em bicicleta Poti, moradora de São Fidélis pedala ao lado da filha até a rampa de voo livre em Cambuci

Na aventura, que foi no domingo, a Brenda, filha da Cristiane, estreou a bike mais apropriada para o ciclismo que a mãe ganhou e deu para ela. Foram cerca de 73 km pedalados
Fotos: Arquivo pessoal

Em sua fiel escudeira, a bicicleta ‘poti vermelha’ Cristiane de Oliveira Barreto, de 43 anos, moradora de São Fidélis, no Norte Fluminense, se aventurou novamente por estradas da região. Desta vez ao lado da filha Brenda Barreto Cabral, de 15 anos, companheira de pedal, Cristiane pedalou até um ponto turístico do Noroeste Fluminense, a rampa de voo livre de Cambuci. Na ocasião, a Brenda estreou a bike mais apropriada para o ciclismo que a mãe ganhou após a publicação de uma matéria pelo SF Notícias, e deu para ela. Cristiane deu prioridade para a filha, ao saber que ganhariam a bike de um grande amigo. “Como minha filha estava precisando mais rápido por conta das dores de coluna passei pra ela. Mas, qual mãe que vai deixar de ajudar um filho em um sonho?” – disse em matéria publicada no dia 1º de março (reveja AQUI). Segundo Brenda, a nova bicicleta é muito boa, e apesar de estar precisando de alguns reparos, com certeza é muito melhor que a outra.

Na aventura até a rampa de voo livre elas revezaram entre pedal e caminhada. Foram cerca de 73 km pedalados no último domingo (14/03). “Foi uma aventura linda, saímos às 5h30 da manhã e retornamos às 3h30 da tarde. Da piscina até chegar na pista foram 4h de pedal e 3h de subida até chegar lá” – relata Cristiane. Segundo ela, na descida elas precisaram parar em alguns momentos, por conta das estradas afetadas pelas chuvas. “Todo cuidado é bom, mas depois a estrada mais em baixo estava melhor aí descemos o restante de bike. O rapaz que nos acompanhou nesse longo percurso é o nosso amigo conhecido como Rei do Mototáxi” – conta a fidelense. Ela aproveitou para agradecer a equipe da Moto Bike, que realiza os reparos na bicicleta dela e da filha. “O dono da oficina, Renato, sempre fala que o negócio é concertar as bikes para sermos felizes no que gostamos de fazer, que é o pedal. Existem ainda verdadeiros amigos mais chegados que um irmão” – disse Cristiane. Confira mais sobre a história dela com o pedal AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS