Amor ao ciclismo: em bicicleta Poti, moradora de São Fidélis já percorreu centenas de quilômetros pela região

Sem condições de adquirir bicicletas adequadas, Cristiane, que trabalha em uma fábrica de doces, e a filha de 15 anos usam as bicicletas que têm para conhecer lugares encantadores sobre duas rodas
Fotos: Arquivo pessoal

A luta da Cristiane de Oliveira Barreto, de 43 anos, moradora de São Fidélis, no Norte Fluminense, começa cedo, por volta das 5h30 da manhã. A primeira pedalada do dia tem como destino uma fábrica de doces na Vila dos Coroados, mas os cerca de 4 km para chegar ao trabalho não são o trajeto exclusivo que Cristiane e sua ‘poti vermelha’ fazem. Mãe de quatro filhos, sendo os mais novos um casal de gêmeos de 9 anos, além de uma menina de 10, a fidelense aproveita os domingos para se aventurar pelas estradas do município e região, mesmo sem uma bicicleta adequada, prática que se iniciou há um ano. “Comecei com minha filha de 15 anos e o primeiro pedal que fiz fui parar em Colônia. Eu e minha filha não temos a bike adequada para pedalar, mas vamos na que temos” – relatou ao SF Notícias. A vontade de pedalar e aproveitar as belas paisagens falou mais alto. “A vontade, o prazer e o principal a determinação e foco, e muita fé, nos levam a lugares que jamais imaginávamos ir” – destaca.

A fiel escudeira, a ‘poti vermelha’ está com Cristiane há mais de seis anos, e nesse último ano, tem percorrido muitos quilômetros. Ela já pedalou até uma fábrica de sucos, localizada na RJ-158 entre Campos e São Fidélis, já foi até a Cachoeira de São Lourenço, trajeto de 85 km, entre outros pedais. “Os mais longos que fiz foram com minha filha Brenda e a amiga Regilane. O último do final de semana foi em Italva, que fizemos 101 km. Quando cheguei a Pureza o pneu furou, mas tinha uma amiga com a bomba que encheu e deu para chegar na cidade” – relata, afirmando que apesar de a bicicleta não ser a mais adequada, ela consegue vencer e chegar ao objetivo. “Tiro o domingo mesmo cansada para fazer o pedal que tanto amo. Nunca houve treino, mas sempre a determinação e foco no objetivo a ser realizado” – frisa.

Cristiane fala ainda sobre o grande sonho de um dia conseguir duas bicicletas adequadas para continuar pedalando junto a filha, e conhecer mais lugares encantadores. “Infelizmente nossa condição não dá para comprar. Ganhamos os capacetes pela amiga Regilane. Mas o restante não temos. Quando vamos eu e minha filha vamos com o que temos e com a proteção de Deus mesmo. O ortopedista até falou que as dores que minha filha estava sentindo era por conta da bike não estar adequada para ela. Chorei muito, pois tanto ela como eu amamos o pedal e eu como mãe não posso comprar” – relata. Para quem quer começar a pedalar ela deixa uma mensagem: “Nunca desista dos seus sonhos, jamais. Não há limites para quem quer sonhar com fé e determinação sempre. Temos também que ter muita fé em Deus, pois ele tem cuidado de nós”. Interessados em ajudar a Cristiane a realizar o sonho de ter uma bicicleta própria para o pedal podem entrar em contato com a mesma pelo número (22) 99606-4645.

VEJA MAIS

VEJA MAIS