Uso da hidroxicloroquina não apresenta “eficácia alguma”, diz presidente da Comissão Covid-19 de Pádua Médico também citou o uso da Ivermectina e Nitazoxanida. "Todos que eu usei no início do tratamento, acabaram evoluindo com piora na tomografia" - afirmou

Médico também citou o uso da Ivermectina e Nitazoxanida. "Todos que eu usei no início do tratamento, acabaram evoluindo com piora na tomografia" - afirmou

Fotos: Reprodução

Em comunicado publicado na página oficial da Prefeitura de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, o Presidente da Comissão COVID-19, Dr. Marco Antônio, afirmou que o uso de Ivermectina, hidroxicloroquina e Nitazoxanida “parece ser apenas placebo, sem eficácia alguma” no tratamento de pacientes com o coronavírus, pois na prática clínica os resultados são instáveis. “Todos que eu usei no início do tratamento, acabaram evoluindo com piora na tomografia. A Pneumonia Viral é mais dependente do seu sistema imunológico. Os remédios citados anteriormente estão sendo prescritos, mas não há garantia de melhora” – ressaltou. Segundo o médico pneumologista, a cidade já está em franca epidemia da doença, e somente nesta terça-feira (26/05) três pessoas foram colocadas em ventilação mecânica, e tiveram que ser transferidas. Ele destacou ainda o aumento no número de internações, quase proporcional aos números de infectados. (continua após a publicidade)

Foto: Agência Pará

O presidente da comissão frisou ainda que a melhor forma de estratégia é o uso de máscara e o isolamento social. “O Pico de contágio em Santo Antônio de Pádua deverá se no final de junho, há ainda de 40 a 50 dias duros pela frente. Ontem foram internadas mais 8 pessoas. Cuidem-se, pois se não houver uma diminuição dos números de casos, provavelmente vai chegar um momento que não haverá leito para tratamento de COVID disponível”- disse. Na última semana o Ministério da Saúde incluiu a cloroquina e a hidroxicloroquina, no protocolo de tratamento para os pacientes com sintomas leves do novo coronavírus. O governo advertiu na ocasião que, apesar de serem medicações utilizadas em diversos protocolos e de terem atividade in vitro demonstrada contra o coronavírus, ainda não há resultados de “ensaios clínicos multicêntricos, controlados, cegos e randomizados que comprovem o benefício inequívoco dessas medicações para o tratamento da covid-19”. O tratamento da Covid-19 com cloroquina é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, que em seu Facebook publicou: “O Ministério da Saúde divulga orientações para tratamento da Covid-19, onde a Cloroquina pode ser ministrada em casos leves, com recomendação médica e autorização do próprio paciente/família. Ainda não existe comprovação científica, mas sendo monitorada e usada no Brasil e no mundo. Contudo, estamos em Guerra: “Pior do que ser derrotado é a vergonha de não ter lutado.”.

Mais do SFn