Repasse da Alerj de R$10 milhões visa impulsionar turismo em Aperibé, Miracema, São Fidélis e mais 13 cidades

Repasse é para o projeto “Caminhos do Açúcar”, que visa alavancar o turismo rural em 16 cidades da região que formam o Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento do Norte e Noroeste Fluminense; veja quais cidades

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) é a principal apoiadora do “Caminhos do Açúcar”, nova rota regional que corta vários municípios do Norte e Noroeste e vai alavancar o turismo rural no interior do estado. O projeto está sendo viabilizado, em grande parte, com o repasse de R$ 10 milhões da Alerj, do Fundo Especial da Casa, ao Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento do Norte e Noroeste Fluminense (Cidennf), que passa a contar com 16 municípios. O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT) e o vice-presidente, deputado Jair Bittencourt (PL), participaram nesta terça-feira (02/08), da Assembleia Geral Extraordinária do Cidennf, realizada em Italva.

O encontro reuniu prefeitos, vereadores e autoridades regionais no Pedra Branca Social Clube. Na oportunidade, os prefeitos agradeceram o apoio da Alerj ao projeto, considerado crucial para o desenvolvimento econômico da região, fortemente impactada pela pandemia do coronavírus e pelas enchentes deste ano.

 Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Prefeita de Quissamã e presidente do consórcio, Fátima Pacheco saudou Bittencourt e Ceciliano e agradeceu por aproximarem a Alerj dos municípios. “O presidente da Assembleia colocou o Parlamento para circular pelo interior do estado. O lado de cá da ponte, o que sobrava do interior agora tem voz. Ceciliano tem feito a diferença, dando visibilidade aos invisíveis. Ele ouviu a pauta da energia elétrica, foi à Uenf, garantiu ao Cidennf recursos para consolidar o projeto da rota turística que começa em Macaé e vai até Bom Jesus. O Norte e Noroeste se juntam com capacidade de articulação e essa reunião é importante e histórica”, comentou.

O presidente da Alerj lembrou que já foi prefeito (de Paracambi) e reconhece a luta dos prefeitos para administrar uma cidade pequena. “É preciso dar valor à administração pública, independentemente do número de habitantes dos municípios”. Ele também falou de sua expectativa sobre o Cidennf. “Eu acredito no consórcio, cada município pode fazer muita coisa, mas com a unidade entre eles é possível fazer mais. Tenho certeza de que vai aumentar o número de municípios”, disse. Ceciliano aproveitou para sugerir que o circuito do açúcar inclua também a produção regional de cachaça.

continua após a imagem

O encontro marcou a entrada de quatro novos municípios para o consórcio: Itaperuna, Aperibé, Cambuci e Varre-Sai. O Cidennf já reunia as cidades de Bom Jesus do Itabapoana, Campos dos Goytacazes, Carapebus, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu, Italva, Macaé, Miracema, Porciúncula, Quissamã, São Fidélis e São Francisco de Itabapoana. O Cidennf tem como objetivo buscar uma melhor gestão de programas e de serviços públicos, com base nos princípios da transparência, economicidade e eficiência.

O deputado Jair Bittencourt lembrou que o Cidennf começou com sete municípios, passou a ter 16 e, segundo ele, deverá em breve ter 20. “O Cidenff é um expoente para o desenvolvimento do interior. Este é o primeiro recurso que entra nos cofres do consórcio para fazer turismo rural”, disse o parlamentar, que é autor da Lei 9.514/2021 juntamente com Ceciliano, entre outros deputados, que permite a colocação de recursos do Legislativo em consórcios intermunicipais.

Mais sobre o projeto

O projeto Rota Turística Regional Caminhos do Açúcar foi elaborado a partir do contexto histórico e do ciclo econômico açucareiro que movimentou toda a região Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro, em especial os municípios consorciados no Cidennf, durante séculos. Trata-se de uma rota turística regional que perpassa pelos municípios consorciados. O projeto deverá beneficiar agricultores familiares, artistas e artesãos dos municípios que irão expor seus produtos e recepcionar os turistas em suas propriedades.

Os circuitos elaborados serão divididos para atrair um público muito diverso, como crianças, jovens, adultos e idosos, ciclistas recreativos, motociclistas, trilheiros, turistas de outras regiões do Estado do Rio e do Brasil, entre outros. A ideia é receber pessoas que procuram a paz, contato com a natureza e experiências longe dos grandes centros urbanos.

O projeto visa a fortalecer o caráter cooperativo/complementar dos produtos e serviços do turismo rural nas atividades tipicamente agrícolas e culturais, qualificar os serviços, produtos turísticos e o mercado de trabalho, estruturar os destinos turísticos, diversificar a oferta turística no Estado do Rio de Janeiro, aumentar a inserção competitiva dos produtos turísticos dos municípios do Cidennf no mercado regional e nacional, e aumentar a taxa de permanência e gasto médio do turista na região das cidades que integram o consórcio.

Até hoje a cana-de-açúcar é um importante produto agrícola para a região dos municípios que compõem o Consórcio Cidennf. De acordo com o último censo agropecuário realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019, Campos dos Goytacazes, por exemplo, produziu 1.352.650 toneladas de cana em 30.487 hectares de área, o que resulta em um rendimento médio de 44.368 quilos por hectare.

O evento foi aberto pelo prefeito de Italva, Leo Pelanca, e contou com a presença de Paulo Sergio Cyrillo, prefeito de Bom Jesus do Itabapoana; Bernard Tavares, prefeito de Carapebus; Geane Vincler, prefeita de Cardoso Moreira; Welberth Rezende, prefeito de Macaé, Clóvis Tostes, prefeito de Miracema; Léo Coutinho, prefeito de Porciúncula; Amarildo Alcântara, prefeito de São Fidélis; Alfredão, prefeito de Itaperuna; Ronald Moreira, prefeito de Aperibé; Silvestre Gorini, prefeito de Varre-Sai; e Raliston Souza, vice-prefeito de São Francisco de Itabapoana. Também estavam presentes na mesa Vinicius Viana, secretário executivo do Cidennf; Almy Junior, secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca de Campos dos Goytacazes; e João Luís Marinho, secretário de Desenvolvimento Agropecuário de Cambuci.

VEJA MAIS

VEJA MAIS