Prefeitos e representantes de cidades da região fazem reunião sobre aterro de Pureza

Local irá atender municípios do Norte e Noroeste Fluminense. O local, que está tecnicamente pronto há quase oito anos e ‘abandonado’, também já foi alvo de furtos.

Os prefeitos de Cambuci, Itaocara, São Fidélis e representantes de prefeituras de outras cidades das regiões Norte e Noroeste Fluminense, além de secretários municipais de desenvolvimento ambiental, estiveram reunidos para debater sobre ajustes que terão que ser feitos para finalmente ativar o aterro sanitário que foi construído em Pureza, distrito de São Fidélis.

Em fevereiro deste ano o SF Notícias mostrou que o Governo do Estado do Rio de Janeiro quer inaugurar o aterro sanitário, obra que era para ter sido inaugurada em 2013. Porém, para isso, novos investimentos precisam ser feitos, já que boa parte do que já estava pronto, se perdeu por ação do tempo ou efeitos de fortes chuvas na região em que o aterro fica. O local, que está tecnicamente pronto há quase oito anos e ‘abandonado’, também já foi alvo de furtos.

“São reparos de custo alto e que só poderão ser feitos com verba específica da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental”, informaram os prefeitos.

continua após a imagem

Em fevereiro desse ano o subsecretário de saneamento ambiental do Estado, Sérgio Henrique Mantovani, esteve fazendo uma visita técnica no aterro. Segundo a Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, o objetivo da visita foi estabelecer o contato da nova gestão da pasta estadual com a municipalidade e entender o cenário atual da situação da área da Central de Tratamento de Resíduos de São Fidélis. O Estado é ente do Consórcio Público de Gestão de Resíduos Sólidos do Noroeste Fluminense, que é responsável pela gestão do aterro.

Ainda segundo a Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, para o aterro entrar em operação duas etapas serão necessárias, – contratação das obras de readequação do aterro; e elaboração de edital de concessão para licitação da CTDR. Após estas etapas com o vencedor da licitação, terá início a operação. Somente após a elaboração do diagnóstico da CTDR será possível a mensuração do investimento a ser realizado.

Inicialmente, a Central de Tratamento de Resíduos de São Fidélis foi construída para atendimento aos municípios de São Fidélis, Itaocara, Aperibé, Santo Antônio de Pádua, Cambuci, Cardoso Moreira, Italva, Itaperuna, Miracema, Laje do Muriaé, Porciúncula, São José de Ubá e Varre-Sai, que integram o Consórcio Noroeste Fluminense.

VEJA MAIS

VEJA MAIS