Natural de São Fidélis, pai de menino autista gerencia loja dedicada exclusivamente às crianças com TEA

Em 2012, o Rafael Abreu Mendes, que atualmente mora em São Paulo, lançou a loja virtual Alma Azul. Sempre que podem, eles ajudam pessoas que não tem condições de comprar, além de instituições
Fotos: Arquivo pessoal

Quando o Francisco tinha apenas três anos, ele foi diagnosticado com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Sem muitas opções no Brasil, o pai do menino, Rafael Abreu Mendes, natural de São Fidélis, Norte Fluminense, começou a buscar brinquedos e equipamentos fora do país. Posteriormente, Rafael passou a fabricar alguns itens e abriu, em 2012, a loja virtual Alma Azul, que segundo ele, é a única loja dedicada exclusivamente às crianças autistas. “Existem outras lojas que vendem produtos para terapia, mas não com esse foco” – afirma. Os primeiros produtos foram o balanço casulo e a Lycra sensorial (bodysocks). Logo depois, Rafael começou a importar alguns produtos. Hoje já são mais de 300 opções entre brinquedos, mordedores, itens anti ansiedade, adaptadores, produtos para segurança, entre outros.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Rafael lembra que no início da loja, o Francisco, que é o garoto propaganda da Alma Azul, testava todos os produtos. “Ele testava todos. Também por falta de conhecimento meu. Mas com pouco tempo mergulhado nesse mundo do autismo, descobri que cada criança é única, e que o que agrada meu filho pode não agradar outro, e vice-versa. Por isso procurei estudar bastante o tema e selecionar produtos os que eram mais utilizados pelos autistas fora do Brasil, procurando em sites especializados, lendo artigos acadêmicos e me internado sobre as terapias utilizadas” – relembra o fidelense, que atualmente mora em São Paulo, de onde toca a loja. No Instagram da loja, o Francisco ajuda em alguns vídeos de demonstração, mas somente quando o pai sabe que ele vai gostar do brinquedo/produto.

Apesar de ter registrado uma queda nas vendas no começo da pandemia, Rafael conta que em novembro do ano passado aumentou o portfólio de produtos e investiu em marketing digital, o que fez aumentar o faturamento. Além de ajudar pais de crianças autistas por todo o país, unindo em uma só loja diversos produtos, eles também fazem um trabalho social. “Sempre que podemos ajudamos pessoas que não tem condição de comprar, e algumas instituições como APAEs e entidades filantrópicas” – destaca o fidelense. Clique AQUI para acessar a loja.

VEJA MAIS

VEJA MAIS