Inverno começa neste sábado (20); confira a tendência climática para a estação Climatologicamente, estação é marcada pelo período menos chuvoso, pelas incursões de massas de ar frio, além da formação de geadas e nevoeiros

Climatologicamente, estação é marcada pelo período menos chuvoso, pelas incursões de massas de ar frio, além da formação de geadas e nevoeiros

Geada registrada em Trajano de Moraes em 2019. Fotos: Divulgação/Prefeitura de Trajano

O Inverno começa neste sábado (20/06) às 18h44 e termina no dia 22 de setembro às 10h31. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) climatologicamente, a estação é marcada pelo período menos chuvoso no Sudeste. Caracteriza-se também, pelas incursões de massas de ar frio, oriundas do sul do continente, que provocam o declínio acentuado das temperaturas médias do ar. Esta diminuição de temperatura, pode ocasionar formação de geadas. Em função das inversões térmicas no período da manhã durante o inverno, também observam-se formações de nevoeiros e/ou névoa úmida, com redução de visibilidade. Com a redução das chuvas em grande parte do país nesta época do ano, tem-se a diminuição da umidade relativa do ar, que consequentemente favorece o aumento da incidência de queimadas e incêndios florestais, bem como aumento de doenças respiratórias, destaca o Inmet. Para os amantes do frio, o meteorologista Filipe Pungirum, um dos responsáveis pela previsão climática na Climatempo, já avisa: o inverno de 2020 não será marcado por frio intenso na região Sudeste. (continua após a publicidade)

No podcast “Clima entre Nós”, o meteorologista da Climatempo afirma que na primeira quinzena de julho a duas fortes frente frias podem fazer com que algumas capitais do Sudeste, entre elas o Rio de Janeiro, registrem chuva acima da média. Essas frentes frias também deverão ser responsáveis por forte queda de temperatura, devido às massas de ar frio mais intensas, com potencial inclusive para provocar geada. Para a Região Sudeste, o prognóstico climático de inverno publicado pelo Inmet prevê o trimestre de junho a agosto como o período mais seco da região, indicando que as chuvas devem permanecer próximas ou ligeiramente abaixo da média, exceto sobre o litoral do Rio de Janeiro, sul e extremo oeste de São Paulo, onde as chuvas devem ser ligeiramente acima da climatologia. No caso das temperaturas, elas devem permanecer acima da média em grande parte da região.

Mais do SFn