Incandescente, halógena, fluorescente ou led? qual é a melhor opção para economizar energia

lampada 1
Fotos: Vinnicius Cremonez / Reprodução

Diante da maior crise energética do País, que alia aumento nas contas de luz e economia de energia, os brasileiros tiveram que mudar radicalmente seu comportamento. Uma das alternativas adotadas é a troca de lâmpadas. Existem quatro tipos de lâmpadas no mercado: incandescentes, halógenas, fluorescentes compactas e led. Cada uma tem uma durabilidade e preço. A Lustres Yamamura, maior megastore de iluminação do Brasil, nos mostrou qual é a melhor opção para economizar.

Incandescente: Mais comum e tem o menor preço, varia de R$ 2,50 a R$ 4,50. Tem a vida útil de 800h (média). Além disso, pode ser dimerizada (uso correto de energia para determinado cômodo e situação), o que nem sempre é uma característica das concorrentes dela. A versão com 60W (que já não é mais fabricada desde o ano passado), gasta mais energia do que as outras opções para iluminar o mesmo ambiente.

Halógena: Muito comum para iluminação de destaque, decorativa e jardins, pode variar de R$ 2,50 a R$ 29,00, podendo ser dimerizada. Funcionam em tensão de rede 127V ou 220V, podendo também ser encontrada em 12V. Produzem luz de alta intensidade e brilho, porém consomem o valor nominal (50W: consumo 50W; 40W: consumo 40W).

Fluorescente compacta: Mais econômica do que a incandescente, a versão da fluorescente com 15W ilumina da mesma forma que a incandescente de 60W. Isso significa uma economia de 75% na conta de luz. O preço é maior, varia de R$ 8,90 a R$ 12,00, com uma vida útil de 8.000h (média). Se somados o preço da lâmpada mais o gasto de energia de um ano, a fluorescente sai quase três vezes mais barata.

lampada 2LED (Light Emitting Diode): A lâmpada de LED consegue ser ainda mais econômica no consumo de energia. Com apenas 8W e com uma vida útil de 20.000h (média), tem a capacidade de deixar o ambiente iluminado, com a mesma intensidade que a incandescente de 60W ou a fluorescente compacta de 15W. Mas essas vantagens a fazem custar mais caro. Dependendo do modelo, chega a ser R$ 30 mais cara que a versão incandescente. No final das contas é a mais econômica e eficiente.

A economia de energia em relação à lâmpada incandescente, varia em 30% em caso de lâmpada Halógena, 80% em Fluorescente e chega em até 85% se sua lâmpada for de Led.

As lâmpadas incandescentes deixarão de ser produzidas no Brasil. Essa decisão foi determinada pela portaria Nº 1.007, de 31 de dezembro de 2012, que foi assinada em acordo entre o Ministério de Minas e Energia, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Na portaria, as lâmpadas com 60W, 100W, 150W e 200W não poderão ser produzidas e importadas. A proibição tem como objetivo aumentar o consumo e utilização de lâmpadas fluorescentes, halógenas ou LED, que são mais econômicas. A medida será adotada com um escalonamento:

A portaria prevê redução gradual da produção de lâmpadas incandescentes. O Brasil está acompanhando uma decisão tomada pela Agência Internacional de Energia, que pretende reduzir o consumo de energia elétrica em todo o mundo. Futuramente, serão utilizadas somente lâmpadas de LED, fluorescentes ou halógenas.

Mais do SFn