Friburgo confirma 2 mortes por influenza, sendo uma delas do subtipo H3N2, que provoca surto em cidades da região

Em uma semana Friburgo registrou 114 casos de gripe influenza, e no momento, seis pessoas estão internadas no município

A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, confirmou duas mortes de moradores por gripe influenza. A confirmação foi feita nesta terça-feira (28) pela Prefeitura de Friburgo. Em nota, a secretaria de comunicação do município informou ao SF Notícias que uma das mortes já foi confirmada como sendo a do subtipo H3N2, que vem provocando surto em diversos municípios da nossa região.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

A segunda morte segue sendo investigada para saber se é do mesmo subtipo. Entre os dias 20 a 27 de dezembro, foram registrados 114 casos de gripe em Friburgo. No momento há seis moradores internados com gripe na cidade. Outras mortes por H3N2 já foram confirmadas no estado. No momento os casos estão associados principalmente à linhagem “Darwin” do vírus Influenza A (H3N2).

Médico de São Fidélis alerta para prevenção contra a gripe em meio ao surto que vem sendo registrado

“Na região estamos tendo um número bem significativo de síndrome gripal, compatível com a gripe e os locais que fazem a tipagem do vírus identificam o H3N2 como o sorotipo que seria envolvido nesse surto de gripe na região. Se o surto está afetando São Fidélis é estatístico, muito provável que sim” – destaca o Médico Intensivista, com Título de Especialista pela AMIB, diretor do CTI do Hospital Armando Vidal, Dr. Alexandre Aguiar.

O médico ressalta ainda que este “surto” tem afetado um número significativo de crianças, sendo que as mais novas, além de idosos, pacientes com comorbidades pulmonares, pacientes acamados, entre outros, fazem parte do grupo de risco. Com a pandemia de Covid-19, fica ainda mais difícil distinguir de que doença se trata, pois ambas apresentam sintomas semelhantes.

“O que a gente tem visto é que realmente no caso da Influenza é muito típico o quadro gripal, lacrimejamento, coriza, o nariz obstrui, mas não tem aquele avanço rápido da Covid, mas deixa o paciente bastante prostrado, com febre” – explica o médico. Com o avanço da vacina contra a Covid, muita gente acabou relaxando na prevenção, o que pode contribuir para o avanço da contaminação pelo vírus Influenza H3N2. “Evitar aglomeração, uso de máscara, lavar as mãos com frequência, não levar a mão ao trato respiratório, porque se transmite através das secreções” – destaca o médico.

VEJA MAIS

VEJA MAIS