Ele lutou e venceu! Com festa e bênção, bebê agredido pelo pai em São Fidélis deixa hospital; veja o vídeo

Bebê deu entrada no Armando Vidal, em São Fidélis, em estado gravíssimo após ter sido brutalmente agredido, e foi transferido para o Ferreira Machado, onde ficou internado por mais de 2 meses

Hoje é dia de celebração, de alegria, de comemoração. Dia da confirmação de um milagre, o milagre Dominick, que sobreviveu a agressões gravíssimas e recebeu alta após ficar mais de 60 dias internado, sendo 55 deles na UTI em estado grave, e boa parte desses dias ele permaneceu intubado. Mas Dominick é forte, é guerreiro! Ele lutou e venceu. Nesta quarta-feira, com direito a festa e bênção de um padre, ele deixou o Hospital Ferreira Machado e foi para casa, para o convívio familiar, a família que lhe dará muito amor e carinho.

Desde o dia da internação, após ele ter sido brutalmente agredido pelo pai, era o tio, Agnaldo Rangel Couto, que detalhava nas redes sociais cada momento da recuperação e o dia a dia do pequeno no hospital, inclusive nos dois mêsversários em que ele passou no hospital. Ainda por questões médicas, Dominick seguirá na casa do Agnaldo em Campos, mas em breve ele voltará para São Fidélis, onde mesmo não conhecendo ninguém, já é amado por todos os fidelenses que acompanham sua jornada.

continua após o vídeo

https://www.instagram.com/tv/CP6B84SjGEF/?utm_medium=copy_link

A história
A história do pequeno Dominick começou a ser contada pelo SF Notícias no dia 02 de abril, quando ele deu entrada no Hospital Armando Vidal, em São Fidélis, com fraturas e gravemente ferido. Naquele dia a mãe contou uma versão que não convenceu a polícia. Ela disse que o marido havia saído de casa, e como ele estava demorando, ela saiu juntamente com a criança atrás dele. Ainda segundo a versão, no caminho ela teria sido abordada por quatro homens que estariam em um carro, e foi ameaçada com uma arma a entrar no veículo. Já dentro do carro os ocupantes teriam agredido apenas o bebê. A mãe disse ainda que após a agressão ela e o menino foram deixados na praça da estação, no Centro, e ela voltou para casa com medo. Entre a hora que teria ocorrido o fato narrado por ela e a hora em que os pais levaram a criança ao hospital se passaram mais de 07 horas. Os pais levaram a criança ao hospital por volta das 13h da tarde do dia 02 de abril. O bebê foi transferido em estado grave para o Hospital Ferreira Machado em Campos.

Mas, a história verdadeira acabou sendo revelada na delegacia, após os pais serem colocados em salas diferentes. De acordo com o delegado Carlos Augusto Guimarães, ao serem separados durante os depoimentos formais, o pai acabou confessando ter agredido a criança após ficar irritado com o excessivo choro. Já a mãe se mostrou inerte diante das agressões praticadas contra a criança, inclusive sustentando a versão do suposto sequestro no hospital e na apresentação à delegacia. O pai do menino foi autuado em flagrante delito pelos crimes de tortura e lesão corporal, e a mãe por tortura e por omissão.

VEJA MAIS

VEJA MAIS