quinta-feira , 6 agosto 2020

Caminhoneiro agredido presta depoimento e PMs são afastados das ruas; delegado fala sobre o caso Os policiais devem prestar depoimento na próxima semana, e o inquérito deve ser concluído em 30 dias

Os policiais devem prestar depoimento na próxima semana, e o inquérito deve ser concluído em 30 dias

O caminhoneiro que foi agredido por dois policiais militares no último sábado (04/07) em Itaocara, no Noroeste Fluminense, prestou depoimento na 135ª Delegacia Legal do município. As agressões aconteceram próximo ao distrito de Laranjais, e tudo foi gravado por uma pessoa que se indignou ao ver os militares agredindo o caminhoneiro. O vídeo foi compartilhado e viralizou nas redes sociais. O delegado responsável pelas investigações, Dr. Rodrigo Maia, titular da 135ª DP de Itaocara, informou ao SF Notícias que a vítima confirmou as agressões, e que além do caminhoneiro, uma testemunha também foi ouvida. Ainda segundo o delegado, os policiais devem prestar depoimento na próxima semana, e o inquérito deve ser concluído em 30 dias. (continua após o vídeo)

Nesta quinta-feira (09) a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou a imprensa que a Corregedoria Interna da corporação, por meio da 6ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar abriu um procedimento apuratório interno – que está em curso -,  para avaliar as circunstâncias do fato. Segundo a nota, a vítima confirmou as agressões em sede de DPJM e o comando do 36º BPM (Santo Antônio de Pádua) já ouviu os policiais, que foram afastados das ruas e estão trabalhando internamente no batalhão. Ao SF Notícias, o caminhoneiro contou que as agressões começaram após ele ter desviado de um remendo (buraco mal tapado) na rodovia. Ele disse que ao passar pelo trecho ruim, para desviar das irregularidades no asfalto, seguiu pelo meio da rodovia e com a seta ligada para identificar, voltando para sua faixa ao acabar os buracos. (continua após o vídeo)

Ainda de acordo com o caminhoneiro, não havia nenhum veículo atrás ou na frente da carreta. “Eles vieram lá de trás cambiando e parearam ao lado da carreta”, disse. O caminhoneiro contou ainda que em um determinado momento, o veículo em que os PMs estavam passou a carreta e ficou dando freadas na frente do caminhão. Logo mais na frente, conta a vítima, eles atravessaram o carro no meio da rodovia e desceram armados do veículo. Com medo, o caminhoneiro disse que jogou a carreta no mato e conseguiu desviar, mas foi novamente ultrapassado pelo veículo. Ele só decidiu parar a carreta ao avistar uma viatura do 36º BPM, mas ao ser aproximar dela, viu os dois policiais conversando com o que estava na viatura. O caminhoneiro contou ainda que assim que parou, foi puxado para fora do caminhão e começou a ser agredido. Ele disse também que levou uma coronhada na cabeça ao tentar recuperar o celular que um PM ameaçou destruir com um tiro, achando que a vítima havia filmado a ação (relembre AQUI).

Mais do SFn