Cachorro e gato são encontrados mortos com sinais de envenenamento na estrada do Palmital, em S.Fidélis

Nesta terça (26) um cachorro também foi encontrado morto com sinais de envenenamento no meio da estrada, o que deixou moradores indignados

Mais um cachorro e um gato foram encontrados mortos com sinais de envenenamento na região da estrada do Palmital, em São Fidélis, no Norte Fluminense. Moradores suspeitam que um dos animais está morto desde sábado, pois o corpo já está em estado de decomposição. Os corpos foram encontrados em meio ao mato às margens da estrada. Nesta terça (26) outro cachorro foi encontrado morto com sinais de envenenamento no meio da estrada. O caso foi publicado pelo SF Notícias e deixou moradores indignados, reveja AQUI.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

“Ao decorrer do tempo já são mais de 40 cachorros envenenados. Já teve vez de em um dia só contar mais de cinco mortos. É a região que mais morre cachorro envenenado. É muito triste você ver o cachorro morrendo, você tentar salvar e não conseguir” – relatou um morador. No mês de agosto de 2018, seis cachorros foram encontrados mortos (imagem abaixo), com sinais de envenenamento, ao longo da estrada do Palmital. Os venenos seriam colocados em pedaços de carne e pelanca.

continua após a foto

Ainda em 2018, no mês de janeiro, as cadelas Cisa (de cinco anos) e Mia (de oito anos) morreram envenenadas. As duas viviam na rua, mas ganharam um lar ao serem adotadas por uma moradora da cidade, e estavam morando em um sítio na localidade de Palmital, onde morreram ao comerem pelanca com veneno que estava em uma sacola. Um dia depois, no mesmo sítio, Apolo, que tinha um ano e meio, também foi encontrado morto com sinais de envenenamento. Outros dois cachorros também apareceram mortos na mesma estrada em fevereiro daquele ano e em 2019, quando até urubus foram encontrados mortos com sinais de envenenamento.

Mesmo diante de todos os casos, de cães e também gatos que morreram com suspeita de envenenamento, que são compartilhados por moradores nas redes sociais, os autores não chegaram a ser oficialmente identificados ou punidos. Vale lembrar que quem pratica atos de abuso, maus-tratos ou violência contra cães e gatos pode ser punido com prisão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda, conforme a legislação vigente.

VEJA MAIS

VEJA MAIS