Vigilância interdita clínica que realizava procedimentos estéticos sem licença sanitária, em Campos

Agentes também identificaram que o proprietário e responsável por realizar os procedimentos não tinha nenhuma habilitação legal ou curso que o permitisse a prática dos serviços de saúde oferecidos pela clínica
Fotos: Divulgação

A Vigilância Sanitária Municipal (VISA) de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, interditou uma clínica que realizava procedimentos estéticos sem licença sanitária no Parque Guarus. No local, os agentes também identificaram que o proprietário e responsável por realizar os procedimentos não tinha nenhuma habilitação legal ou curso que o permitisse a prática de Quiropraxia, atendimentos ambulatoriais, procedimentos estéticos, entre outros serviços de saúde oferecidos pela clínica.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Segundo a Prefeitura, os fiscais chegaram ao local após uma denúncia anônima. Durante a fiscalização foi constatada a existência de material cirúrgico, medicamentos controlados e anestésicos. De acordo com o órgão, no local foram encontrados produtos de fabricação caseira clandestina à venda, sem rótulo e sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Ainda de acordo com a Visa, o proprietário informou ser mestre em oncologia e doutor em Quiropraxia, mas na realidade sua formação é na área de Biologia, sem registro ativo no Conselho Regional de Biologia.

A clínica foi autuada e interditada. O responsável foi conduzido para a 146ª Delegacia de Polícia. O órgão alerta as pessoas que realizaram algum procedimento na clínica que compareçam à delegacia para fornecer informações que possam ajudar nas investigações, em especial nos casos que geraram algum agravo à saúde do consumidor. A Vigilância Sanitária também alertou para os riscos de fazer procedimentos estéticos e de saúde em locais com higiene precária e/ou sem profissionais devidamente capacitados. “A população deve estar sempre atenta para a licença sanitária que deve estar exposta em local visível e observar as condições higiênico-sanitárias do local, o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI), verificar a data de validade dos produtos usados e se possuem registro na ANVISA” – destacou o órgão.

Outra medida de segurança é, antes de marcar sua consulta, buscar referências, pesquisar na internet sobre a clínica e o profissional em questão. Procedimentos feitos de maneira inadequada podem causar danos irreversíveis à saúde e, até mesmo, a morte. Em caso de irregularidades, denuncie através do telefone: (22) 99868-0244, por ligação ou mensagem de Whatsapp. O anonimato é garantido.

VEJA MAIS

VEJA MAIS