Vídeo: Natural de Santa Maria Madalena, padre é processado por ‘barulho’ de sinos em Guarapari, ES

O padre afirmou que se tiver que tirar o sino da matriz do Centro, ele não ficará na cidade. "O sino ele toca 6h, 9h, 12h, 15h e 18h. Ele toca um minuto. Se eu tiver que desligar os sinos, eu não fico aqui" – disse

Fotos: Reprodução rede sociais/ Dronar ES

O município de Guarapari, no Espírito Santo, que é muito frequentado por moradores da nossa região, ganhou os noticiários devido a um processo contra o padre da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, a Igreja Matriz, localizada na Avenida Davino Mattos, no Centro. O padre Diego Carvalho, que é natural de Santa Maria Madalena, na Região Serrana do Estado do Rio, está sendo processado por um morador, por causa do ‘barulho’ dos sinos. No último domingo (14/11) o padre tirou um momento na missa para falar sobre o caso.

“Estou sendo processado por causa do sino da Igreja. Por que está incomodando. Sinceramente, eu acho que nós estamos vivendo em uma sociedade muito complicada. Há dois mil anos os sinos tocam. Eu vou a várias cidades no mundo inteiro, já viajei pra muitos lugares, e sempre vi sino de igreja tocando” – disse o padre. Em sua fala o padre afirmou ainda que se tiver que tirar o sino da matriz do Centro, ele não ficará na cidade. “O sino ele toca 6h, 9h, 12h, 15h e 18h. Ele toca um minuto. Fico muito triste. Se eu tiver que desligar os sinos, eu não fico aqui, mas entro também por outras vias, porque vai ter que desligar o sino de todas as igrejas. Por que a lei é uma só” – afirmou.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Em seu perfil pessoal no Instagram o padre fez uma publicação afirmando que, se os sinos estiverem com os decibéis acima do permitido pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), a Igreja irá acionar a Empresa responsável pela manutenção do mesmo. “Solicitarei ao jurídico da Igreja, que acione as autoridades constituídas do Município para que tome ciência da legislação da cidade, no que tange a permissão sobre o horário que os sinos podem tocar e o horário que os mesmos devem permanecer desligados. Quanto ao tempo de duração das badaladas, não entrarei no mérito da questão, uma vez que existem assuntos que não merecem ser discutidos, afinal a Igreja nesses Dois Mil Anos, reconhece o seu papel social e religioso na sociedade” – publicou. Nas redes sociais, a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição lançou a campanha #EuSouaFavordosSinos, que tem recebido dezenas de apoiadores.

https://www.instagram.com/p/CWWQZw_g5W4/

VEJA MAIS

VEJA MAIS