Vídeo emocionante mostra reencontro de cadela e moradora de S.Fidélis após alta do Centro de Covid-19

Angela se recuperou e venceu a doença, recebendo alta após sete dias de internação. Neste período a Babalu chorava todo tempo, esperando a chegada da idosa
Fotos: Arquivo pessoal

Eles são considerados “o melhor amigo do homem”, mas por sete dias a Babalu, uma cadela de 4 anos, precisou ficar longe da sua melhor amiga, a dona Angela Bianchini. Diagnosticada com Covid-19, a idosa moradora de São Fidélis foi internada no Centro de Combate ao Coronavírus, anexo ao Hospital Armando Vidal. “Embora apresentando muitas comorbidades, como diabetes descompensada e hipertensão, manteve um quadro estável e permaneceu no setor do COVID, sendo acompanhada a todo tempo por ser um quadro preocupante e possível de alterações” – relata Janainy Bianchini Malafaia, filha da idosa. Angela não chegou a precisar ser transferida para a UTI. Ela se recuperou e venceu a doença, recebendo alta após sete dias de internação. Nesse período, a Babalu sofreu a ausência da dona. “Como ela é uma companheira de 24 horas por dia de minha mãe, ficou prostrada durante todos esses dias, sem ânimo e com uma tristeza profunda. Não dormia a noite e chorava todo tempo, esperando a chegada de minha mãe na porta de casa durante todos os dias” – conta Janainy.

continua após o vídeo

A saudade era recíproca e para fazer a alegria da dona Angela e da Babalu, Janainy levou a cadela no dia da alta hospitalar. “Como minha mãe também sentia muito dia falta dela, eu tive a ideia de realizar este encontro na porta do hospital, quando ela saísse. Só em ver minha mãe, a reação dela foi emocionante, como mostra o vídeo. A saudade era imensa. O companheirismo entre as duas é uma demonstração muito fiel de um amor muito sincero entre um ser humano e um bichinho de quatro patas!” – destaca Janainy. Em seu perfil em uma rede social ela agradeceu a Deus pela cura da mãe e também toda equipe do hospital, pelo imenso carinho e cuidado.

VEJA MAIS

A história de Romário, o Baixinho artilheiro

Eternizado por seus gols e atuações na Copa do Mundo de 1994, quando foi campeão e eleito o melhor jogador, Romário é considerado um dos maiores centroavantes da História do futebol brasileiro e mundial

VEJA MAIS