Trajano de Moraes segue sem casos de Covid-19; “Começamos a prevenção muito cedo”, destaca prefeito Município é o único do estado do Rio sem casos confirmados da doença, sendo um dos primeiros a implantar barreiras sanitárias

Município é o único do estado do Rio sem casos confirmados da doença, sendo um dos primeiros a implantar barreiras sanitárias

Fotos e vídeos: Divulgação

Trajano de Moraes, na Região Serrana, segue como o único município do Estado do Rio sem casos confirmados de coronavírus. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pelo prefeito na noite de terça-feira (19/05), há cinco casos suspeitos em análise, quatro casos de síndrome gripal, 33 pessoas que tiveram contatos com casos suspeitos em quarentena e que estão sendo monitorados, e quatro casos foram descartados. De acordo com o prefeito Rodrigo Viana, diversas medidas de prevenção foram adotadas, desde muito cedo, o que levou a cidade a ainda não ter casos de Covid-19. “Começamos o isolamento social desde o início, o qual não pensamos de maneira nenhuma em afrouxar, pensamos sim em tomar medidas para ser mais rigoroso. Estamos controlando muito o acesso no comércio da cidade. Restringimos para alguns seguimentos a entrada de somente um cliente por vez” – disse o chefe do poder executivo, destacando ainda o trabalho de desinfecção de pontos de maior aglomeração e o uso obrigatório de máscaras. (continua após o vídeo)

O Coordenador de Vigilância Sanitária do município, Saulo Pacheco, (final do vídeo acima) ressalta que houve uma grande adesão por parte da população, que é parceira na fiscalização e no cumprimento dos decretos. “Montamos vários grupos de WhatsApp onde ocorrem as denúncias” – relata. O coordenador evidencia ainda que a principal medida foi a implantação precoce das barreiras sanitárias, o que impediu o fluxo de pessoas de fora do município, e explica o funcionamento das mesmas. “Somos uma cidade de passagem, quem não é morador é aferida a temperatura, perguntado se há algum sintoma ou sinal da doença, se houver a gente orienta que procurem a unidade de saúde mais próxima de sua residência. Quando é morador, orientamos a procurar nossas unidades. Morador entra, não morador segue viagem e não pode parar na cidade”. Ele afirma saber que uma hora a doença vai chegar, mas salienta que o município tem toda uma estrutura de apoio para atender os pacientes. “Estamos preparados, a gente sabe que ela vai chegar. A rede de atenção primária está preparada. Temos o nosso hospital, com respiradores. Acredito que se a doença chegar de forma controlada com as nossas ações de prevenção, a gente vai passar muito bem pela pandemia sem sofrer maiores danos, evitando ao máximo o número de casos graves e mortes” – destaca.

Mais do SFn