Sindicato recebe denúncia de surto de Covid-19 na plataforma P-47, na Bacia de Campos

O sindicato informou que está acompanhando o caso; essa não é a primeira denúncia

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense, Sindipetro-NF, informou que recebeu na tarde desta quinta-feira (13/05), denúncia de que um novo surto de Covid-19 em uma plataforma localizada na Bacia de Campos. Dessa vez é a P-47. De acordo com os relatos da categoria, houve desembarque de 13 trabalhadores com suspeita de terem contraído a doença a bordo. Pelo menos quatro testaram positivo.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

O sindicato informou que continua a acompanhar o caso e solicita mais informações dos petroleiros e petroleiras da unidade. A entidade quer saber as condições de prevenção na plataforma e o tempo de embarque dos atingidos. Na publicação o sindicato diz que a “categoria petroleira está em greve justamente em razão da negligência da Petrobras na prevenção à Covid-19 em suas instalações”.

De acordo com o coordenador do Departamento de Saúde do Sindipetro-NF, Alexandre Vieira, o caso volta a mostrar que as políticas da empresa para a pandemia não dão resultado. “Isso confirma a importância da nossa greve. É uma falácia da empresa dizer que ficar 21 dias é mais seguro [como acontece na escala unilateral implantada pela gestão da companhia]. Quem está a bordo há mais de 14 dias poderia ter descido”, explica o sindicalista.

Uma das teses da empresa, combatida pelo sindicato, é a de que a permanência a bordo por mais dias (além dos 14 da escala normal) permite um número menor de deslocamentos e, em razão disso, haveria menos risco de contaminação. A realidade demonstrada pelo sindicato é outra: mais tempo a bordo, além de causar mais risco de exaustão e acidentes, gera mais contato em ambientes confinados e de altíssimo risco. De acordo com o painel de acompanhamento da Covid-19 pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), 72% dos casos entre petroleiros e petroleiras têm origem em contaminações nas plataformas.

VEJA MAIS

VEJA MAIS