quinta-feira , 29 outubro 2020
Cidades apresentaram índice de infestação predial (IIP) entre 1% e 3,9%; Já Aperibé, Cordeiro, Cantagalo, Cambuci e Madalena tiveram IIP satisfatório

São Fidélis, Pádua, Miracema e Friburgo em alerta para surto de dengue, zika e chikungunya

O primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) realizado neste ano indica que 994 municípios brasileiros apresentaram alto índice de infestação, com risco de surto para as doenças dengue, zika e chikungunya. Na região, nenhum município apresentou alto índice, entretanto algumas cidades estão em situação de alerta.

Os municípios em nossa área de cobertura que estão em alerta são: São Fidélis, com Índice de Infestação Predial (IIP) de 1,20; Santo Antônio de Pádua ( IIP 3,30); Campos dos Goytacazes (1,20); Itaperuna (1,90); Miracema (3,60) e Nova Friburgo (2,10).

Já aqueles que apresentaram índice satisfatório foram: Aperibé (0,40); Bom Jardim (0,80); Cambuci (0,00); Cantagalo (0,00) Cardoso Moreira (0,40); Cordeiro (0,00); Italva (0,70); Macaé (0,60); Macuco (0,70); Santa Maria Madalena (0,50) e São Sebastião do Alto (0,00).

Em 2019, até 13 de abril, foram registrados 451.685 casos prováveis de dengue no país, de acordo com o Ministério da Saúde, um aumento de 339,9% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 102.681 casos. O número de óbitos pela doença também teve aumento, de 186,3%, passando de 66 para 123 mortes.

Em relação à zika, foram registrados 3.085 casos, com incidência de 1,5 caso/100 mil hab. Em 2018, no mesmo período, foram registrados 3.001 casos prováveis. Em 2019, não foram registrados óbitos por zika. Também foram registrados 24.120 casos de chikungunya no país, com uma incidência de 11,6 casos/100 mil hab. Em 2018, foram 37.874 casos – uma redução de 36,3%. O Ministério da Saúde alerta que o sistema de vigilância de estados e municípios e toda a população devem reforçar os cuidados para combater o mosquito.

Mais do SFn