Rio Pomba transborda em Aperibé, e em Funil e Frecheiras, em Cambuci

Em Aperibé, cerca de 70 pessoas estão desalojadas, sendo que apenas uma está no abrigo. As demais estão em casas de parentes ou amigos

imagens: Defesa Civil Cambuci e Aperibé Urgente

Além de transbordar em Santo Antônio de Pádua, onde o nível do rio está um metro acima da cota de transbordo, o Rio Pomba também transbordou nas localidades de Funil e Frecheiras, em Cambuci, e no município de Aperibé.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Nas localidades de Cambuci, equipes da Defesa Civil e outras secretarias estão auxiliando os moradores. De acordo com o Secretário de Defesa Civil Tony Salles a prefeitura disponibilizou caminhões e funcionários para ajudar os moradores. Em Frecheiras, cerca de 600 pessoas já foram afetadas de alguma forma pela cheia do Rio Pomba.

Ainda segundo o secretário, a cota de transbordo para os distritos de Funil e Frecheiras é de 3m20, sendo que na última medição, o nível do rio estava em (09h45) em 4.09m. Em caso de emergência os moradores devem entrar em contato com o Corpo de Bombeiros 193 ou (22) 9-9984-0508 – Defesa Civil de Cambuci. A Defesa Civil do município também monitora o distrito de Três Irmãos devido à cheia do Rio Paraíba do Sul.

continua após a imagem

Em Aperibé
Já em Aperibé, onde a cota de transbordo é de 3,60, o nível do Rio Pomba estava em 4,35 na última medicação feita pela Defesa Civil. Aproximadamente oito ruas já estão com pontos de inundação, inclusive no Centro da cidade. Segundo a Defesa Civil, a água começou a retornar pelos bueiros na noite de ontem, mas durante a madrugada o rio avançou e começou a colocar água na rua.

continua após a imagem

De acordo com a subsecretária de assistência social, Sônia de Souza Lopes, cerca de 70 pessoas estão desalojadas, mas apenas uma delas está no abrigo, que está funcionando na Igreja Matriz. As demais pessoas estão em casas de familiares ou amigos. Ainda segundo ela, todos que necessitarem do apoio do abrigo irão passar por teste de Covid, para manter a segurança do local. A secretária de assistência social, Tânia Valéria, está ilhada em casa devido à cheia do rio, mas atuando pelo telefone. Um gabinete de crise envolvendo todas as secretarias do município foi montado na sede da secretaria de assistência social.

A prefeitura disponibilizou caminhões e funcionários para fazer a mudança dos moradores que queiram sair de suas casas, ou levantar os móveis daqueles que permanecerem. Os moradores que necessitarem podem entrar em contato com o gabinete de crise através dos telefones (22) 38641606 e 981253403.

continua após a imagem

Mobilização do estado
O governador Cláudio Castro e o secretário Estadual de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros RJ, coronel Leandro Monteiro, monitoram as chuvas que atingem o território fluminense desde quinta-feira (06/01). “Estamos em contato permanente com os municípios. Toda a estrutura do Estado está mobilizada para atuar em apoio às cidades afetadas. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros RJ trabalham incansavelmente para prevenir e minimizar danos causados pelas precipitações. O Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden-RJ) monitora as condições meteorológicas e os níveis pluviométricos, enviando alertas para as regiões e para a população”, afirmou o governador Cláudio Castro.

Na Região Norte/Noroeste do Estado, a Sedec-RJ acompanha o aumento de nível dos rios e a atuação das Defesas Civis municipais frente aos prejuízos causados. Nas últimas horas, foram registrados transbordos dos rios Muriaé, Carangola, Itabapoana e Pomba, causando alagamentos pontuais em Itaperuna, Natividade, Porciúncula, Bom Jesus do Itabapoana, Itaocara, Italva, Laje do Muriaé, Cambuci e Santo Antônio de Pádua.

VEJA MAIS

VEJA MAIS