Quatro anos depois, moradora de Cordeiro relembra milagre após filho ter sido atingido por roda de carro

Apesar do grave diagnóstico de traumatismo craniano e um coágulo no cérebro, João Fernando, que chegou a ficar em coma, se recuperou e não teve sequelas
Fotos: Arquivo pessoal

Há quatro anos, uma família moradora de Cordeiro, na Região Serrana do Rio, vivia momentos de angústia, antes de vivenciar um milagre, após um acidente ocorrido com o pequeno João Fernando, que na época tinha apenas cinco anos. Eles retornavam de uma igreja quando tudo aconteceu. “Entramos no ônibus da igreja e descemos em frente à farmácia do Rodolfo (bairro). Estávamos eu, meu filho, minha filha e meu ex-marido. Estávamos caminhando na calçada normalmente. Quando chegamos próximo à rua da nossa casa, veio um carro. A roda se soltou, bateu em uma pilastra, quebrou ela, e depois bateu no meu filho” – relata Elaine Moraes, mais conhecida no município como Elaine da Batata. Desacordado, o menino caiu no chão, e foi socorrido por um conhecido da família que frequentava a mesma igreja. João foi levado às pressas para o Hospital Antônio Castro, onde acordou. (continua após a publicidade)

Após acordar, o menino disse: “mãe, Deus é bom né?!”; Elaine recorda de ter dito que Deus é maravilhoso e minutos depois, foi chamada pelo médico que estava de plantão. “Falou que não tinha uma notícia muito boa para nos dar. Que meu filho tinha entrado em coma e que precisava ser transferido para o CTI o mais rápido possível” – lembra. Entretanto, segundo Elaine, não havia vagas na região, e posteriormente, surgiu uma vaga no Hospital Adão Pereira Nunes (Hospital de Saracuruna), no Rio. “Antes de ser transferido, ele ficou na sala de estabilização aqui em Cordeiro. Ali eu orava muito a Deus para não levar meu filho. Ele estava apagado, pálido. Pedi a Deus para trazer o meu filho de volta. E ele acordou do coma” – relata a mãe. Quando chegou ao município de Friburgo, o menino foi tirado do tubo e continuou a viagem dormindo. Ele ficou cerca de oito dias internado. (continua após a publicidade)

Mesmo com o grave diagnóstico – a tomografia apontou coágulo no cérebro e traumatismo craniano – Elaine afirma que João praticamente se recuperou sozinho. “No caso dele a roda estava a quase 80 km por hora. Ela quebrou a pilastra antes de atingir meu filho. Quando chegamos no Rio, tinha mais ou menos uns 10 médicos, um médico me disse que o caso dele é surpreendente, porque na maioria dos casos, quando uma roda se solta e atinge uma criança, ocorre óbito” – conta. Elaine afirma que o filho está bem, que não ficou com nenhuma sequela. “Fico muito emocionada de falar disso, porque Deus fez um milagre na vida do meu filho” – ressalta. O acidente foi noticiado pelo SF Notícias em 2016, confira AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS