segunda-feira , 19 outubro 2020
Segundo o projeto, os profissionais que tiverem contato direto com indivíduo sob custódia policial para realizar procedimentos de assistência hospitalar terão direito a gratificação

Profissionais de saúde que atendem pacientes sob custódia policial receberão adicional de periculosidade

Pezão terá até 15 dias úteis para aprovar ou vetar

Profissionais da saúde que atenderem indivíduos sob custódia policial devem receber adicional de periculosidade. É a proposta do projeto de lei 3.515/17, do deputado Dr. Julianelli (Rede), aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quarta-feira (07/02), em segunda discussão.

O texto altera a Lei 1.270/87, que trata da concessão de adicionais de insalubridade e periculosidade aos servidores públicos estaduais. A proposta seguirá para o governador Luiz Fernando Pezão, que terá até 15 dias úteis para decidir pela sanção ou veto.

Segundo o projeto, os profissionais que tiverem contato direto com indivíduo sob custódia policial para realizar procedimentos de assistência hospitalar terão direito a gratificação. “Volta e meia, os hospitais públicos são invadidos para o resgate ou até homicídio de pacientes sob custódia policial. É necessário oferecer uma compensação financeira aos profissionais da saúde que passam por esse risco”, argumenta Julianelli.

Mais do SFn