segunda-feira , 26 outubro 2020

Professores da rede estadual desenvolvem aplicativos para celular Ferramentas tecnológicas educacionais despertam interesse e aumentam produtividade nas aulas

Ferramentas tecnológicas educacionais despertam interesse e aumentam produtividade nas aulas

Fotos: divulgação

Cada vez mais professores têm deixado de lado o antigo quadro de giz para dar lugar a ferramentas tecnológicas. Na rede estadual de ensino, alguns dispositivos têm sido desenvolvidos por educadores, visando enriquecer as aulas e despertar o interesse dos jovens. Entre os exemplos, estão os aplicativos pedagógicos ‘Universos & Tribos’, ‘Profissap’ e ‘Sonhe!’ Os apps foram idealizados por docentes de escolas estaduais como parte do projeto ‘TecEscola’, que tem o apoio da Secretaria de Estado de Educação.

O professor de Matemática, Fábio Gonçalves Polck, desenvolveu junto com a colega de Biologia, Maria de Fátima da Cunha Carneiro, o aplicativo ‘Universos & Tribos’. Trata-se de um quiz – perguntas e respostas – voltado para o conhecimento nas disciplinas que lecionam.

– Com o smartphone, o estudante tem acesso a exercícios em sala de aula, na rua e em casa. No ano passado, utilizei o recurso com alunos que ficaram em recuperação e deu certo, tanto que a maioria conseguiu atingir as notas necessárias para aprovação. O perfil do aluno mudou e, aos poucos, também estamos mudando o jeito de dar aula.

Segundo Fábio, que leciona no Colégio Estadual Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, Zona Sul do Rio, a recepção das turmas novas, da 1ª série do Ensino Médio, foi positiva neste início de ano letivo.

– Conversei com a turma e avisei que vamos trabalhar muito com a tecnologia. Além do uso do aplicativo e da troca de e-mails com exercícios, também mostrei o site Conexão Escola (www.conexaoescola.rj.gov.br), que tem material de estudos. Os alunos receberam bem e ficaram felizes em saber que, como essas ferramentas têm um fim pedagógico, eles não são proibidos de usar o celular em sala – comemorou.

 

De acordo com o professor de Filosofia, Pedro Menezes, a ideia de desenvolver o ‘Sonhe!’ foi dar suporte quanto aos seus desejos e planos do aluno, fornecendo informações sobre suas áreas de interesse, como matemática, música, história, entre outras.

– Tentei sair do trivial. O aplicativo conta com o desenvolvimento de projetos relacionados ao que o aluno gosta. É uma forma de pensar o mundo a partir do conhecimento que adquire na escola – ressalta o docente do Colégio Estadual Ministro Orozimbo Nonato, em Higienópolis, na Zona Norte do Rio.

 

Para o ano letivo de 2017, a proposta dos educadores é atualizar os apps, a partir do feedback de alunos e professores. Os aplicativos estão disponíveis para os sistemas operacionais Android e IOS.

Mais do SFn