Prefeitura de Miracema confirma mais 09 mortes de moradores com Covid-19

Segundo a Prefeitura, o município ainda investiga outras 08 mortes. Ontem a Prefeitura de Miracema decretou toque de recolher no município no horário das 22h às 5h

A Prefeitura Municipal de Miracema, no Noroeste Fluminense, confirmou mais 09 mortes de moradores diagnosticados com coronavírus. Com isso, o número de moradores que perderam a vida para Covid-19 em Miracema passou de 27 para 36. O município ainda investiga outras 08 mortes.

Desde o início da pandemia até hoje foram confirmados 1.744 casos positivos de Covid-19, sendo que 1.597 pessoas já se recuperaram. Nesse momento há 103 casos ativos da doença em Miracema. Ainda de acordo com o boletim desta quinta, 06 pessoas estão internadas.

Toque de recolher
Ontem a Prefeitura de Miracema decretou toque de recolher no município no horário das 22h às 5h. O decreto tem validade de 15 dias, e as medidas presentes no mesmo podem ser prorrogadas. O comércio está autorizado a funcionar cumprindo algumas medidas, como distanciamento de clientes, e controle de fluxo ao estabelecimento, além da adoção de medidas de higiene. Nas confecções e atividades industriais o funcionamento fica permitido em rodízio de turnos com número de colaboradores reduzido a 50% da capacidade e distanciamento.

Segundo o decreto, bares, restaurantes, lanchonetes e afins, poderão funcionar entre 6h e 22h, com limitação de 50% da capacidade e espaçamento entre mesas. Após o horário citado, o funcionamento será permitido apenas por delivery e take-away (entrega para consumo em outro local). Fica vedado o sistema de self-service, música ao vivo e DJ. Em clínicas médicas, de fisioterapia, cabeleireiros, manicures e congêneres o funcionamento será permitido mediante agendamento. As atividades religiosas poderão ocorrer dentro de templos com funcionamento interno reduzido a 50% da capacidade. Ficam suspensas ainda atividades em clubes, prática de esportes coletivos em espaços públicos e privados, a visitação a Casa dos Pobres (asilo), entre outras medidas. Confira o decreto na íntegra AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS