Prefeitura de Cordeiro volta a determinar fechamento do comércio não essencial Segundo a Prefeitura, "para evitar o descontrole da situação e visando frear a possibilidade do crescimento de casos comunitários, ou seja, aqueles que não se pode determinar onde surgiram, foi necessária uma nova reavaliação e a publicação do decreto"

Segundo a Prefeitura, "para evitar o descontrole da situação e visando frear a possibilidade do crescimento de casos comunitários, ou seja, aqueles que não se pode determinar onde surgiram, foi necessária uma nova reavaliação e a publicação do decreto"

Fotos: Reprodução/ SF Notícias

O prefeito do município de Cordeiro, na Região Serrana do Rio, Luciano Batatinha, assinou nesta quinta-feira (21/05), novo decreto que volta a restringir o funcionamento dos estabelecimentos comerciais não essenciais no município. Segundo ele, a medida é necessária para conter possíveis progressões dos casos de coronavírus, que até então estava restrito a contaminações importadas, ou seja, de pessoas infectadas em outras cidades. Em reunião realizada hoje entre integrantes do Gabinete de Crise ficou acordado que, para evitar o descontrole da situação e visando frear a possibilidade do crescimento de casos comunitários – aqueles que não se pode determinar onde surgiram – foi necessária nova reavaliação e a publicação do Decreto 062/2020. Ainda segundo o prefeito, embora a situação financeira de todos na atualidade, inclusive da Administração Municipal, que sofre com perdas na arrecadação seja delicada, o intuito nesse momento precisa ser a preservação das vidas humanas. Desta forma, durante os próximos dez dias, enquanto o decreto estiver em vigor, até 1º de junho, ficam suspensas todas as atividades não essenciais. (continua após a publicidade)

De acordo com a Prefeitura, os estabelecimentos que atuam em serviços essenciais deverão, obrigatoriamente, manter todas as medidas de segurança e higiene, como o uso de máscaras, a lavagem das mãos e a utilização de álcool em gel, além de coibir as aglomerações. Academias de ginástica, salões de beleza, serviços de massoterapia, depilação e congêneres, bem como obras de construção civil não emergenciais, também ficarão com as suas atividades suspensas durante a vigência do decreto. Segundo o decreto, são consideradas atividades essenciais supermercados, mercearias, açougues, hortifrutis e indústrias de alimentação; farmácias; serviços de saúde; de fornecimento de energia elétrica; padarias, lanchonetes e congêneres; restaurantes; lojas de produtos agropecuários e pet shops; lojas de material de construção; bancos e lotéricas; oficinas mecânicas e lojas de peças de veículos; serviços funerários; postos de combustíveis; provedores de internet/tv/telecomunicações, entre outros. Confira a lista no decreto AQUI.

Ainda de acordo com o decreto, que entra em vigor nesta sexta-feira (22), restaurantes poderão funcionar com atendimento interno, desde que mantenha distanciamento entre mesas e no máximo dois clientes por mesa, evitando aglomerações, sem self service e com talheres descartáveis. Os serviços de entrega rápida de alimentos (trailers e outros) poderão funcionar em horário regular, exclusivamente por delivery. Nesta quinta o município chegou a 13 casos confirmados de coronavírus, sendo uma morte, oito pessoas já recuperadas, uma pessoa internada e três em isolamento domiciliar.

Mais do SFn