Prefeitura aguarda autorização da Caixa para reabrir Ponte Metálica de São Fidélis

Pedestres e ciclistas precisam dividir espaço com veículos na "ponte nova", sem nenhuma segurança
Foto: SF Notícias / Evangelista Drone

Pedestres e ciclistas que precisam fazer todos os dias a travessia entre o Centro de São Fidélis e a Ipuca aguardam ansiosamente pela reabertura da Ponte Walter Velasco, que devido a sua estrutura metálica de fabricação inglesa, ficou conhecida como “Ponte Metálica de São Fidélis”. Com extensão de 480 metros sobre o Rio Paraíba do Sul, a ponte foi construída para atender o transporte ferroviário, mas foi adaptada para o transporte rodoviário e, atualmente, para os ciclistas e pedestres. No dia 16 de agosto ela irá completar 140 anos. Desde julho de 2011 a ponte vive momentos entre obras e reabertura, mas chegou a ficar fechada por três anos. Em 2011 foram iniciadas as obras de revitalização da ponte, que prometia ser entregue em dezembro daquele mesmo ano. A ponte só foi reaberta – sem que a obra estivesse totalmente concluída –  quase três anos depois, em abril de 2014. Nesse período, a obra ficou por muito tempo parada e abandonada. No pacote de obras, estava incluso a restauração do piso central e das passarelas, iluminação e pintura da ponte. A ponte foi fechada novamente em agosto de 2019 para retorno das obras, e permanece fechada até hoje. Segundo o secretário de Obras e Urbanismo, Adriano Maia, falta apenas uma vistoria e liberação da Caixa Econômica para que a ponte seja reaberta. Nesta quarta-feira (27/05) representantes da Caixa estiveram na ponte. (continua após a foto)

Atualmente, ciclistas e pedestres dividem o mesmo espaço com carros, motos e outros veículos na chamada ponte nova. O que separa os ciclistas e pedestres dos demais veículos são cordas entrelaçadas em estacas de madeira e cimento, o que não dá segurança para quem precisa fazer a travessia. Nos dias 21 e 22 de novembro do ano passado um arquiteto do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) fez uma vistoria na obra da Ponte Metálica, e em seu relatório, ele apontou alguns problemas na parte debaixo da ponte, como deterioração das vigas metálicas (reveja AQUI). Ao SF Notícias o secretário disse que reconhece que precisa ser feita uma restauração na parte inferior da ponte, mas disse que a parte superior não apresenta riscos para pedestres e ciclistas, já que ela está desativada para trânsito de veículos. “O foco principal é tirar a população do risco. Temos um parecer da Defesa Civil, da engenharia da Defesa Civil, dizendo que ela não oferece risco, já que não é mais para tráfego pesado. Em momento algum estamos nos omitindo a fazer as recomendações do Inepac. Foi feita a recuperação do tabuleiro, onde realmente havia risco de desmoronamento, mas ele foi recuperado”. O secretário disse ainda que o município já está buscando recursos para fazer a restauração da parte inferior, o que poderá ser feito sem que a ponte seja fechada novamente. “O custo é muito alto para fazer uma restauração, e o valor que existia no saldo pra gente concluir a ponte, era insuficiente para fazer a parte superior e inferior. Então fizemos a parte superior pra tirar a população do risco” – relatou o secretário. Segundo a Associação Brasileira da Construção Metálica (ABCEM), a ponte foi construída pelo Barão de Mauá, sendo fundida em estaleiro na Ponta de Areia, em Niterói, sob a supervisão do engenheiro inglês Dadgson. A ABCEM acredita que a ponte, que se tornou um cartão postal de São Fidélis, tenha sido a primeira de aço no Brasil.

VEJA MAIS

VEJA MAIS