Prefeito de Trajano de Moraes vai pagar novo piso salarial aos professores da rede municipal

O reajuste de 33,24% é a maior correção salarial concedida à categoria desde o surgimento da Lei do Piso, em 2008, de acordo com o Ministério da Educação

A Prefeitura de Trajano de Moraes, na Região Serrana do Rio, anunciou mais investimentos na educação. A administração municipal irá pagar todos os professores efetivos na Secretaria Municipal de Educação com o reajuste salarial conforme o novo piso salarial 2022 estipulado pelo Governo Federal. O reajuste de 33,24% é a maior correção salarial concedida à categoria desde o surgimento da Lei do Piso, em 2008, de acordo com o Ministério da Educação.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

“Quero cumprimentar a todos os amigos professores, mestres que se dedicam a profissão de ensinar, em especial aos que atuam em nossa rede municipal de ensino. Quero dizer a cada um de vocês que não diferente de nenhum dos anos do nosso Governo, sempre cumpri o piso nacional com os professores, e afirmo que esse não será diferente. Estamos comprometidos com a educação de qualidade no município e a valorização dos profissionais da área. Não preciso fazer “propaganda” deste ato, venho apenas informar que estou cumprindo e seguindo o piso nacional dos professores. Inclusive nosso pagamento esse mês não saiu adiantado como vem acontecendo nos meses anteriores pois estamos com a nossa equipe do Departamento Pessoal lançando o aumento de matrícula em matrícula de cada professor”, disse o prefeito Rodrigo Viana.

O chefe do executivo ressaltou ainda a importância da valorização desses servidores que atuam em um setor considerado pilares na vida. “Não preciso fazer “propaganda” deste ato, venho apenas informar que estou cumprindo e seguindo o piso nacional dos professores. Inclusive nosso pagamento esse mês não saiu adiantado como vem acontecendo nos meses anteriores, pois estamos com a nossa equipe do Departamento de Pessoal lançando o aumento de matrícula em matrícula de cada professor”, explicou.

VEJA MAIS

VEJA MAIS