Exclusivo: Polícia revela detalhes de crime que chocou Cambuci

crime casa da vítima
Fotos: Vinnicius Cremonez / Manuela Escalla / Polícia Civil

Um crime que chocou os moradores do município de Cambuci no dia 11 de abril desse ano, foi desvendado pela polícia. Naquele dia o corpo de Rosemilton de Morares Machado, de 48 anos, conhecido como “Bodinho”, foi encontrado por moradores decapitado e boiando no Rio Paraíba do Sul, próximo ao centro do município.

Rosemilton trabalhava como carroceiro, e estava desaparecido desde o dia oito de abril. O corpo foi encontrado há mais de quatro quilômetros do local onde o crime aconteceu, e só foi identificado pelo irmão da vítima através de uma tatuagem no braço direito. No dia do crime, nossa equipe de reportagem foi a única que teve acesso ao local, e trás agora com exclusividade, detalhes dessa história que surpreendeu a todos. O São Fidélis Notícias teve acesso ao depoimento do menor e ao local onde aconteceu o crime. Também tivemos acesso a fotos exclusivas do dia em que o menor foi apreendido e levado ao local do crime e ao local onde foi jogado o facão, usado para decapitar a vítima.

Após um trabalho de investigação e inteligência da 142ª Delegacia Legal do município, a polícia conseguiu desvendar detalhes do crime e chegou até cinco integrantes da mesma família, vizinhos da vítima (casa da vítima na foto ao lado). Uma testemunha que terá o seu nome preservado para sua segurança, foi a peça principal para desvendar esse “quebra-cabeça”.

Segundo informações da polícia, em depoimento a testemunha contou que viu um menor e o seu irmão, o Carlos Henrique, imobilizando “Bodinho” com ajuda da Sueli e da Vanessa, suas companheiras, e que a Luciana, mãe do menor e do Carlos Henrique, presenciou o crime. A testemunha conseguiu ver até o momento em que os acusados levaram a vítima para a casa deles.

crime casa do menorCom o depoimento da testemunha, a polícia foi até a residência da família onde aconteceu o crime(foto ao lado), que fica em frente a casa da vítima no bairro da Boia, onde foi feita uma perícia com a utilização do luminol para detectar sangue. Sete amostras foram recolhidas, mas todas deram negativas. Mesmo assim, o juiz entendeu que havia elementos suficiente no depoimento da testemunha e decretou a prisão dos cinco integrantes da família no último dia 31 de julho, por estarem juntos no dia do crime.

crime menorO menor identificado pelas iniciais H.Z.F.C., de 16 anos, e sua esposa Sueli Estolé Faria, de 19 ano, foram presos às 8h da manhã do dia cinco desse mês em uma residência em Pureza, terceiro distrito de São Fidélis. A casa onde os dois foram encontrados fica próximo ao posto de combustíveis do distrito. Na foto ao lado aparece o menor mostrando o local onde o corpo da vítima foi jogado no rio.

Após a prisão do menor, os policiais civis foram até Portela, distrito de Itaocara para tentar prender a mãe do mesmo, mas Luciana Ribeiro Zanadi, de 42 anos, não estava em casa. Um companheiro da mesma disse aos policiais que Luciana teria ido até Itaocara, mas que voltaria no mesmo dia. Ao chegar em casa, Luciana se dirigiu até a delegacia de Cambuci para saber o que estava acontecendo, e acabou sendo presa. Outros dois integrantes da família não foram encontrados pela polícia e continuam foragidos.

crime. vítima enforcadaO menor confessou o crime e disse que apenas o irmão teria participado da ação. O mais chocante dessa história, foi a revelação do que teria motivado o crime. Em depoimento o menor contou que o motivo, era que o “Bodinho” ficava se masturbando na frente de sua residência. O mesmo trajeto contado pelo menor, coincide com o depoimento da testemunha.

Ainda de acordo com o menor, o mesmo teria chamado a vítima para fumar um “baseado”(cigarro de maconha) e que o irmão já estava esperando no quintal da residência.crime local onde vítima foi decapitada Quando os dois entraram, o Carlos Henrique deu uma “gravata” na vítima (enforcou) até que a mesma morresse. Na foto acima, o local onde a vítima foi enforcada, próximo a uma pedra e uma torneira.

Os dois levaram o “Bodinho” para o fundo do quintal próximo ao rio, onde o Carlos Henrique deu um facão ao menor e disse: “corta”. Ainda segundo o menor, o mesmo cortou o pescoço da vítima até achar um osso, e que devolveu o facão para o irmão terminar o serviço. Na foto ao lado aparece o local onde a vítima foi decapitada. Os autores do crime usaram uma inchada para apagar os vestígios de sangue na terra.

crime, onde o copo foi jogadoQuando os policiais perguntaram o que eles fizeram com a cabeça da vítima, o menor foi frio e disse: “demos um chute e ela está ai no rio. Peixe já deve ter comido”. Na foto ao lado aparece o local apontado pelo menor onde o corpo foi jogado no rio.

Ainda em depoimento, o menor contou que o facão usado no crime, foi jogado em um pasto na estrada que liga o trevo da Boia até a localidade de Usina Pureza em São Fidélis. A polícia levou o menor até o local, fez buscas na região mas não conseguiu achar o facão.

crime exclusivo 1

“Vocês só acharam o corpo porque meu irmão não deixou eu cortar a barriga do “Bodinho” e encher de pedras.Vacilão tem que morrer”, disse o menor aos policiais.

Para a polícia, a motivação do crime seria o tráfico de drogas, mas isso não será mais possível descobrir, pois a principal testemunha que é a vítima, está morta. O caso segue em investigação na Delegacia Legal de Cambuci.

crime exclusivo 2

As mulheres foram encaminhadas para o presídio Carlos Tinoco da Fonseca em Campos. O menor foi encaminhado para o Departamento Geral de Ações Socioeducativas(Degase) em São Fidélis.

Carlos Henrique Zanadi Amorim, de 25 anos, e sua esposa Vanessa Barbosa de Souza, de 21 anos, ainda estão foragidos. Caso você alguma informação sobre o paradeiro dos dois, entre em contato com a delegacia de Cambuci através do telefone (22) 2767-2725 ou com a Polícia Militar através do 190. Você não será identificado.

crime foragiddo

Mais do SFn