Polícia prende suspeito de crime que chocou moradores de Conceição de Macabu; vítima levou 12 golpes de facão

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi surpreendida sem qualquer chance de defesa. O crime causou grande comoção na cidade devido ao requinte de crueldade. Vítima passou por cirurgia e não corre risco de morte
Suspeito foi preso em Macaé

Policiais civis da 122ª Delegacia Legal de Conceição de Macabu prenderam, nesta quinta-feira (19/11), um homem que é suspeito de ser o autor de uma tentativa de homicídio que chocou os moradores do município. Coordenados pelo delegado Sergio Santana, os policiais cumpriram um mandado de prisão temporária por homicídio qualificado na forma tentada, expedido pelo Juízo da Comarca de Conceição de Macabu, após representação feita pelo delegado. O crime aconteceu em um bar na noite do último dia 14, no bairro Curato. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi surpreendida sem qualquer chance de defesa e recebeu diversos golpes de facão na cabeça e no crânio. Ao todo, foram doze golpes de facão. O crime causou grande comoção na cidade devido ao requinte de crueldade.

A Polícia Civil de Conceição de Macabu iniciou as investigações no dia do crime, até chegar ao homem, que é apontado de ser o autor da tentativa de homicídio. Ele foi preso nesta quinta-feira em Barra de Macaé, no município de Macaé, e levado para a delegacia de Conceição de Macabu, de onde foi transferido para o sistema prisional do estado. Segundo a Polícia Civil, a violência empregada foi tão grande que retirou quatro dentes da vítima com a raiz. A vítima foi socorrida para o Hospital de Macaé, onde passou por cirurgia e não corre risco de morte. A vítima recebeu diversos pontos na cabeça, e o crânio ficou fraturado com os golpes recebidos. A Polícia Civil de Conceição de Macabu fez um pedido para que a população colabore e denuncie qualquer atividade criminosa contribuindo para tornar a cidade mais segura. Denúncias podem ser feitas pelos telefones (21) 2253-1177 ou pelo WhatsApp do Disque Denúncia, pelo (21) 9.6802-1650. O anonimato é garantido.

VEJA MAIS

VEJA MAIS