Polícia Militar combate o tráfico de drogas na Ponte Seca em Aperibé

PONTE SECA 3
Fotos: Vinnicius Cremonez / PM

Um bairro que tinha tudo pra ser um local bom para se viver em Aperibé, com ruas urbanizadas e casas bem construídas, mas tudo não passou disso, e hoje, o bairro Ponte Seca virou reduto de traficantes.

Segundo dados do IBGE, Aperibé possui um pouco mais de dez mil habitantes, um município pequeno, mas com muitos problemas. A falta de investimento do poder público e de oportunidades de emprego, acabam levando muitos jovens do bairro Ponte Seca para o tráfico, já que não precisam estudar e recebem com facilidade.

Para combater o tráfico, a polícia Militar realiza operações constantemente na comunidade, e viaturas ficam posicionadas em pontos do bairro, para sempre que solicitada, agir de uma forma mais rápida.

Entre 21 de fevereiro e 5 de março desde ano, os policiais prenderam cerca de 275 sacolés de cocaína na Ponte Seca. Durante as ocorrências, nove jovens foram detidos e encaminhados para a delegacia, e sete deles, foram autuados por tráfico e presos, sendo transferidos para a Casa de Custódia de Itaperuna. Os demais foram liberados após prestarem depoimento. As drogas foram encontradas escondidas em terrenos e até mesmo em uma obra de um posto de saúde.

TENENTE CORONELCASTELANOEm entrevista a nossa equipe, o comandante do 36º Batalhão de Polícia Militar de Santo Antônio de Pádua, o Tenente Coronel Eduardo Vaz Castelano, disse que traficantes do bairro Ponte Seca utilizam táticas de assistencialismo apoiado por parte da população que mora no local. Assim como em grandes comunidades onde existe o tráfico de drogas no Rio de Janeiro, em Aperibé não está sendo diferente, pois através de colaboradores, a Polícia Militar recebeu informações de que crianças e adolescentes estariam sendo usados para vender drogas, já que por serem menores, não ficariam presos, além de aliciarem pessoas para servirem como “olheiros”, aquelas pessoas que recebem dinheiro para ficarem em pontos estratégicos, vigiando a chegada da polícia ou movimentação estranha.

batalhão de pádua 2Ainda segundo Castelano, os traficantes também estabelecem a “Lei do Silêncio”, onde os moradores são proibidos de comentar sobre qualquer irregularidade que saibam, e até mesmo de passar informações para a polícia.

“Eles incentivam a população a criticar e insultar as ocorrências da polícia na região, a fim de desarticular e desestimular essas ações colocando mulheres e crianças nas ruas, que ficam gritando xingando os policiais”.

operação aperibeNossa equipe já acompanhou ações da polícia no bairro, onde moradores chegaram a colocar fogo e barricadas para tentar impedir a passagem da viatura, principalmente quando alguém do bairro é preso.

“É importante que a população saiba que a Polícia Militar quando opera na região, assim faz para salvaguardar o direito e as garantias constitucionais do cidadão, e trazer a paz que toda pessoa de bem merece; logo o melhor a fazer é colaborar com a PM para que este objetivo seja cumprido, e traga tranquilidade necessária para todos”, afirmou o Tenente Coronel.

Homens da Polícia Militar irão continuar intensificando cada vez mais as ações no bairro. Você pode ajudar a PM no combate ao tráfico de drogas, basta denunciar. Ligue para os telefones 190 ou 3853-1190. Você não será identificado.

PONTE SECA 1

VEJA MAIS

VEJA MAIS