quinta-feira , 22 outubro 2020

Polícia constata crimes ambientais em área de proteção em São Fidélis O local fica na Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Desengano, e está a menos de 2 quilômetros do Parque

O local fica na Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Desengano, e está a menos de 2 quilômetros do Parque

Uma máquina foi encontrada no local

Em cumprimento à Ordem de Policiamento, policiais da 3ª Unidade de Polícia Ambiental do Parque Estadual do Desengano foram até a zona rural de São Fidélis, no Norte Fluminense, para verificar denúncias de possível existência de desmatamento em uma área localizada na Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Desengano, Área de Proteção Permanente (APP) por estar às margens do Ribeirão Morumbeca. No local os militares constataram uma área de aproximadamente 25 hectares, sendo parte em Área de Proteção Permanente (por ser topo de morro, inclinação superior a 45°, próximo à nascentes e às margens do ribeirão Morumbeca), parte em área agropastoril e outra, com vegetação em estágio inicial, médio e avançado de regeneração, sendo arrancadas também algumas árvores de pequeno, médio e grande portes com características de nativas, estando ainda algumas amontoadas e outras aparentemente soterradas. (continua após a publicidade)

Foi constatada, ainda, a construção de quatro barragens/tanques, também em APP (redor de nascentes). No local, foi encontrada uma escavadeira hidráulica, que não estava sendo utilizada no momento da fiscalização. Foi informado pelo Instituto Estadual do Meio Ambiente que a propriedade se encontra na Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Desengano, e que o local do desmatamento está a menos de 2 quilômetros do Parque. (continua após a publicidade)

No local, populares informaram aos policiais que o proprietário do local seria morador de Niterói. Os agentes tentaram contato telefônico, mas não conseguiram. O caso foi registrado na 141ª Delegacia Legal de São Fidélis, que através do sistema da polícia, conseguiu obter informações sobre o responsável do terreno. O Instituto Estadual do Meio Ambiente também foi acionado. Denúncias de crimes ambientais devem ser feitas ao Programa Linha Verde, o Disque Denúncia do Meio Ambiente no estado, através do 0300 253 1177 (Linha Verde), ou 021 2334-7632 (Agência de Inteligência do Comando de Polícia Ambiental).

Mais do SFn