Polícia Civil cumpre mandados e prende acusados de latrocínio e homicídio

Segundo a Polícia Civil, um dos presos ainda é suspeito de ter mandado matar o próprio pai, um crime bárbaro, sem nenhuma chance de defesa para a vítima

Dois homens foram presos pela Polícia Civil durante cumprimentos de mandados em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. Um dos presos é acusado de envolvimento em um latrocínio. O mandado de prisão preventiva foi expedido pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Friburgo. Foragido há alguns meses, o acusado foi encontrado na casa na Rua Jandira Belisário Perlingeiro, no bairro Girassol. Segundo a Polícia Civil, os policiais permaneceram em campana no local, pois o acusado já havia fugido de outras abordagens policiais, e até conseguiu fugir de dentro do Fórum de Nova Friburgo, onde acontecia uma audiência de um de seus processos, ao tomar conhecimento que seria expedido um mandado de prisão para ele. (continua após a publicidade)

Ainda de acordo com a Polícia Civil, quando os agentes foram até o imóvel, a companheira do acusado não permitiu a entrada dos policiais, afirmando que ele não estava na casa. Em um determinado momento, o acusado tentou fugir pelos fundos da residência em direção a uma mata, sendo perseguido e alcançado pelos policiais. A Polícia Civil informou ainda que ele é suspeito de ter mandado executar o seu próprio pai em um bárbaro crime, em que os criminosos invadiram o sítio da vítima, o roubaram e executaram sem nenhuma chance de defesa para a vítima. O crime aconteceu em 2018, em um sítio na RJ-130, a Terê-Fri. (continua após a publicidade)

Ainda em Nova Friburgo, a Polícia Civil prendeu um homem acusado de envolvimento em um homicídio. O mandado de prisão temporária foi expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Friburgo. O acusado, que também era considerado foragido, foi encontrado em uma residência na Rua Rio Caraíba, no bairro Três Irmãos, em Conselheiro Paulino. Ele também é suspeito de ter participado de outro homicídio, ocorrido no ano de 2019.

VEJA MAIS

VEJA MAIS