Padre e mais dois homens são presos com grande quantidade de drogas em Friburgo

Além de se identificar e apresentar uma carteira de padre, o homem disse que também era diretor de uma escola no distrito de Conselheiro Paulino

Três homens, entre eles um que se identificou como padre, foram presos por envolvimento com o tráfico de drogas na manhã desta sexta-feira (07/05) em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. Segundo informações do 11º Batalhão de Polícia Militar, após denúncias de que pessoas envolvidas com o tráfico transportariam uma carga de drogas, policiais foram até a Estrada do Curuzu, em Varginha, e abordaram um veículo com dois homens, sendo um de 21 e outro de 23 anos.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Com eles os policiais apreenderam 16 grandes tabletes de maconha prensada, 34 unidades de cocaína e 1.143 unidades pequenas de maconha. Ainda de acordo com o batalhão, ao serem questionados, os dois teriam informado que iriam enterrar o citado material em um terreno no bairro de Varginha, e que teriam pego todo entorpecente com um homem no bairro de São Jorge.

O 11º BPM informou ainda que os policiais foram até a casa dessa terceira pessoa, onde os dois disseram ter pego todo o material. Chegando lá, o homem se identificou como padre pertencente à Diocese Católica Apostólica de Confissão Anglicana, e ainda de acordo com a PM, também se apresentou como diretor de um colégio no distrito de Conselheiro Paulino. Ele também apresentou uma carteira de identificação como padre.

Ainda de acordo com a polícia, o homem que se identificou como padre teria assumido para os policiais todo seu envolvimento com tráfico, sendo responsável pela guarda e distribuição do material entorpecente. Os três foram levados para a 151ª Delegacia de Polícia de Nova Friburgo, onde foram autuados por tráfico de drogas, permanecendo presos e todo material apreendido. Até o momento nossa redação não conseguiu contato com a Igreja relata pelo homem que diz ser padre.

Nota da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Em vídeos publicados em uma rede social da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, o bispo Eduardo Grillo afirmou que o homem preso, que se identificou como padre, não faz parte da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, a única igreja no Brasil reconhecida pela Comunhão Anglicana. “Queremos esclarecer que está pessoa ou esse grupo nada tem a ver com a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, que é uma província da comunhão anglicana, única igreja anglicana reconhecida pela Comunhão Anglicana no Brasil, que tem comunhão com a Sé da Cantuária na Inglaterra e com as famílias de igrejas Anglicanas no mundo. Essa igreja se apresenta como uma diocese católica de confissão anglicana. O Anglicanismo não é uma igreja confessional, é uma igreja de comunhão” – explicou o Bispo.

O Bispo reforçou que o ocorrido nada tem a ver com a Igreja Anglicana. “Esse fato terrível nada tem a ver com a nossa Igreja Anglicana […] queremos reafirmar nossa disposição de diálogo verdadeiro, sincero. Lamentamos profundamente essas confusões. Sabemos que outros grupos passam pela mesma situação, de serem identificados com grupos ligados à violência, à morte, a atitudes ilícitas. Estamos sempre prontos ao diálogo e a partilha e a comunhão com aqueles que levam a sério a fé, a religiosidade, a espiritualidade de todas as pessoas. Não àqueles que buscam comercializar e aferir lucros transformando a fé, a religiosidade em um negócio lucrativo. Nós repudiamos esse tipo de abordagem e nos colocamos sempre abertos ao diálogo fraterno, que faz todos crescerem juntos e nos respeitarmos cada vez mais” – destacou o bispo. Confira o esclarecimento AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS