Nova Friburgo terá barreiras sanitárias para conter fluxo de turistas durante ‘superferiado’

O prefeito anunciou ainda o chamamento de dezenas de profissionais da saúde para dar assistência ao Hospital Municipal Raul Sertã e também no processo de vacinação

A Prefeitura de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, anunciou que o município vai implantar barreiras sanitárias nos principais acessos ao município. Esta será uma das medidas mais restritivas para conter o fluxo de turistas e a disseminação do coronavírus na região. A decisão surge após a proposta de um feriadão de dez dias, aprovada na noite desta segunda-feira (22) pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). De acordo com a Prefeitura, as medidas estão sendo debatidas em conjunto com o Comitê Operacional de Emergência em Saúde (COE), que é composto por membros do Poder Executivo, Legislativo e Entidades Sociais.

Em vídeo publicado em seu perfil em uma rede social o prefeito Johnny Maycon informou que outra reunião será realizada para discutir medidas de enfrentamento à Covid-19. Ele anunciou ainda que está sendo publicado um chamamento de dezenas de profissionais da saúde para dar assistência ao Hospital Municipal Raul Sertã e também ao processo de vacinação. Entre os profissionais a serem convocados estão médicos reguladores, do trabalho, obstetras, cirurgiões vasculares, ortopedistas, anestesistas, endoscopistas, anestesiologistas, infectologista, cirurgiões gerais, além de biólogos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, maqueiros, técnicos em enfermagem, técnicos em laboratórios e auxiliar em saúde bucal.

continua após o vídeo

‘Superferiado’
A Alerj aprovou em regime de urgência o projeto de lei 3.906/21, do Executivo, que adianta os feriados de Tiradentes e São Jorge e implementa um recesso entre os dias 26 de março e 4 de abril, com o objetivo de conter o avanço da pandemia de Covid-19 no estado. Tanto o Governo do Estado quanto as prefeituras serão responsáveis por estabelecer as regras de funcionamento e a proibição de abertura dos estabelecimentos durante o recesso. Se houver divergência entre eles, valerão aquelas regras que forem mais restritivas (reveja AQUI)

VEJA MAIS

VEJA MAIS