Norte e Serra do Rio apresentam risco médio para Covid-19; Noroeste está em baixo risco

No Norte Fluminense e Região Serrana, onde o cenário epidemiológico reflete uma classificação na faixa de cor laranja, a pontuação geral foi impactada pelo aumento no número de óbitos por SRAG e, principalmente, pelo aumento na taxa de positividade para COVID-19
Fotos: Reprodução

A Secretaria Extraordinária da Covid-19 lançou nesta semana uma nova nota técnica e painel de indicadores com atualização sobre a pandemia de coronavírus no estado do Rio de Janeiro. No estudo, pode-se observar que a Região Noroeste evoluiu de risco moderado (laranja) para baixo risco (amarelo), enquanto o Norte Fluminense e a Região Serrana permanecem no estágio moderado. Os dados foram apurados no dia 17 de julho, sendo correspondentes à Semana Epidemiológica (SE) 27, e comparados com dados anteriores à SE 25, considerando o tempo da atualização de informações para maior consistência do resultado encontrado. A secretaria ressalta que o material é um dos estudos utilizados para basear decisões governamentais e que as medidas relacionadas ao nível de risco são apenas recomendações, podendo ser acatadas ou não nos decretos oficiais. (continua após a publicidade)

De acordo com o estudo, o Noroeste Fluminense e outras regiões avançaram para a bandeira amarela, sendo classificadas como Risco Baixo, devido à notável redução do número de casos e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em relação às semanas epidemiológicas anteriores, com consequente redução nas taxas de ocupação de leitos destinados à Covid-19. Entretanto, nas regiões Norte, Serrana, e outras, em que o cenário epidemiológico reflete uma classificação na faixa de cor laranja, a pontuação geral foi impactada pelo aumento no número de óbitos por SRAG e, principalmente, pelo aumento na taxa de positividade para COVID-19. “Considerando o total de pontos em cada região de saúde, é importante ressaltar que as regiões Centro Sul Fluminense, Médio Paraíba e Norte Fluminense se encontram em Risco Moderado, porém mais próximas de uma bandeira ainda mais restritiva devido ao seu somatório de pontos” – destacou a secretaria. No Norte Fluminense, Macaé e Campos lideram com o maior número de casos confirmados da doença, 5.109 e 2.606 respectivamente.

VEJA MAIS

VEJA MAIS