Natural de Aperibé, jornalista diagnosticado com câncer cerebral passa por cirurgia, tratamento e vence a doença

Ele afirma não ter dúvidas de que seu caso é um milagre e se diz agradecido por todo apoio e orações que recebeu. Nesta quarta ele pôde retornar ao trabalho, em home office, após mais de um ano afastado
Fotos: Arquivo pessoal

A vida do jornalista Filipe Figueira, de 38 anos, natural de Aperibé, no Noroeste Fluminense, mudou em 2019. Na madrugada do dia 31 de outubro de 2019 a esposa dele acordou assustada com um barulho, vindo do banheiro, onde encontrou Filipe caído no box, debaixo do chuveiro. O aperibeense, que mora no Rio de Janeiro devido ao trabalho, havia sofrido uma convulsão, algo inédito em sua vida. Desacordado, ele foi socorrido, encaminhado a um hospital, entubado, sedado e só retomou a consciência na noite seguinte. “Foram dias internado, submetido a uma série de exames, até receber o diagnóstico. Um tumor no cérebro, glioma grau dois, maligno. Um câncer. Todo o ocorrido já era assustador pra mim, não tinha histórico de problemas de saúde. Mas, ouvir de um médico a palavra câncer no cérebro foi um golpe muito duro. Porém, respirei fundo e não tive dúvidas que aquilo seria superado” – relatou Filipe ao SF Notícias, que destaca todo o apoio recebido pela família e amigos. “Sou temente a Deus, e tenho a certeza de que tudo aconteceu sob os cuidados e vontade Dele!” – completou.

Filipe conta ainda que não teve qualquer sintoma, como dor de cabeça, até o dia em que passou mal. Após o diagnóstico ele recebeu a indicação para realizar uma cirurgia e buscou a opinião de outros especialistas. “Todos disseram que o mais indicado era mesmo a cirurgia, extremamente delicada. As chances de sequelas, motora, fala ou memória, por exemplo, eram enormes. O risco de morte também não estava descartado. Mas, minha confiança estava em Deus e ele estava comigo e com os médicos” – relata o jornalista. A cirurgia, que durou mais de 9 horas, foi realizada no dia 09 de dezembro de 2019, com a equipe do doutor Jânio Nogueira, que segundo Filipe, além de renomado neurocirurgião, é um grande ser humano. “Já saí consciente do centro cirúrgico, reconhecendo as pessoas, conversando, com todos meus movimentos, memória intacta… sem sequelas! Em menos de uma semana, pude voltar pra casa!” – lembra.

Após a cirurgia foi iniciada mais uma etapa do tratamento. O aperibeense foi submetido a sessões de radioterapia e quimioterapia. “Foram meses e meses… no meio de tudo isso, uma pandemia… cuidados redobrados. Fora as intermináveis consultas, remédios, exames… Hoje, olho pra trás e vejo o quanto Deus é bom! Foram dezesseis meses e meio afastado do trabalho em licença medica” – recorda. O jornalista retornou ao trabalho nesta quarta-feira (17/03), em home office por precaução. Ele afirma não ter dúvidas de que seu caso é um milagre e se diz agradecido por todo apoio e orações que recebeu. A notícia da cura veio no final do ano passado, e periodicamente, Filipe se submete a exames e consultas médicas. Ele falou ainda sobre aprendizados que o período difícil trouxe. “Que não temos controle sobre nada; que, às vezes, damos valores para coisas que não importam tanto; que saúde e família devem ser prioridade e que a fé e confiança em Deus devem estar em primeiro lugar. Deus é bom o tempo todo!” – destaca.

O jornalista, que iniciou a carreira na Record TV, em Campos, em 2008 e em 2009, foi contratado pela RecordTV Rio, onde atua desde então, deixa um recado para quem está passando por uma luta parecida. “Que não desanime, que não deixe de lutar. Eu sei que nesse quadro, quando a gente fala de câncer tudo é muito difícil muito complicado. Sei que fui privilegiado, não somente pela cura, mas pelo processo, a condição de ter o melhor tratamento. Porque quem depende somente da saúde pública a gente sabe como é sofrido, desgastante. Mas, que a pessoa não desanime, confie, tenha fé, peça a Deus, acredite que Ele é capaz de agir e confie nos médicos, no tratamento. E que nos dias que mesmo com muita fé e confiança se sintam um pouco pra baixo, desanimado, que não se deixem abater, porque no final a vitória chega” – finaliza.

VEJA MAIS

VEJA MAIS