Motos barulhentas são alvo de operações na Região Serrana do Rio O Detran informou que dará apoio a prefeituras que solicitarem reforços para operações contra as irregularidades. Em junho, o Ministério Público do Estado instaurou um procedimento para apurar falta de fiscalização de poluição sonora provocada por motos com escapamento aberto

O Detran informou que dará apoio a prefeituras que solicitarem reforços para operações contra as irregularidades. Em junho, o Ministério Público do Estado instaurou um procedimento para apurar falta de fiscalização de poluição sonora provocada por motos com escapamento aberto

Foto: reprodução

Moradores de várias cidades do estado usam as redes sociais para reclamar do barulho provocado pela adulteração no sistema de escapamento de algumas motos, as chamadas motos barulhentas. Todos os dias surge uma nova reclamação referente ao ruído alto das motos. Segundo o Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro, o Detran-RJ, atualmente o estado tem mais motocicletas que há um ano. Nos últimos 12 meses, foram mais 31 mil veículos desse tipo. O total de motos saltou de 1.211.646 para 1.243.203. Com mais motos circulando, cresceu também o incômodo da população com o barulho desse transporte. Isso porque, alguns motociclistas adulteram o sistema de escapamento, ampliando o ronco dos motores. Para coibir essa manobra irregular, a partir desta semana, a Coordenadoria de Fiscalização do Detran-RJ dará apoio a prefeituras que solicitarem reforços para operações municipais. (continua após a publicidade)

A primeira ação foi realizada na noite de terça-feira em Petrópolis, visando principalmente este tipo de infração. Durante a abordagem, também foram verificados os itens de segurança e os documentos dos condutores. Em três horas de operação, 26 veículos foram fiscalizados e 34 infrações de trânsito, aplicadas. Para seis veículos, que estavam irregulares, foram emitidas notificações de encaminhamento ao posto para regularização. O Detran reforça que, durante a pandemia, as CNHs vencidas após 19 de fevereiro de 2020 não serão consideradas irregulares porque tiveram sua validade estendida. Em junho, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) instaurou um procedimento preparatório de inquérito civil para apurar possível falta de fiscalização de poluição sonora provocada por motos com escapamento aberto. O procedimento foi instaurado a partir de denúncias da imprensa abordando a falta de fiscalização em relação a motos que tiveram o sistema de descarga alterado – retirando o silenciador ou substituindo o cano original por outro –, produzindo, dessa forma, uma acentuada poluição sonora (reveja AQUI).

Mais do SFn