Moradora de Macuco que contraiu Covid-19 durante a gravidez morre após complicações

Segundo a cunhada de Tatiane Pinto, de 35 anos, os problemas de saúde que ela já tinha foram agravados pela Covid. O bebê, que nasceu durante a internação da mãe, passa bem

Mais uma família da região chora a perda de um ente querido em decorrência do novo coronavírus. Tatiane Pinto, de 35 anos, moradora de Macuco e querida no município, contraiu a doença durante a gravidez de seu primeiro filho. “Desde o início da gestação ela já sentia muitas dores nos rins, porque ela já tinha esse problema nos rins. Duas semanas antes do Natal ela tinha se isolado, ido para a casa da mãe dela, porque o marido estava com todos os sintomas de Covid. Ele fez três testes e os três deram negativo, mesmo assim elas [Tatiane e a mãe] continuaram em isolamento” – relata a cunhada de Tatiane, Camille Biscacio. Ela conta que Tatiane e a sogra, que também apresentava sintomas gripais como tosse e dor no corpo, chegaram a ser atendidas na triagem do município, mas retornaram para casa, sem realizar a testagem.

Posteriormente, com o agravo dos sintomas, Tatiane e a mãe chegaram a ser levadas ao Pronto Socorro do município, sendo encaminhadas para o Hospital de Cantagalo, onde apenas a mãe de Tatiane ficou internada. Camille conta que Tatiane relatou estar bem e que iria retornar para casa, mas no dia de Natal, passou mal e foi internada em Cantagalo. “Como estava grávida, ela não podia receber as medicações para combater a Covid, porque poderia afetar o neném. Os médicos disseram que ela precisaria fazer a cesariana. Ela foi transferida para o Rio, no hospital dos servidores, onde surgiu a vaga neonatal, no dia 26. Ela saiu bem, eu acompanhei a saída dela do Hospital de Cantagalo. Só que quando a médica ligou pra gente ela disse que a Tatiane chegou em estado grave” – relata Camille.

A cesariana foi feita no dia 27 e o bebê nasceu dormindo, devido à quantidade de medicamentos que a mãe recebeu. Ele já passa bem e deve receber alta na próxima semana. Tatiane seguiu entubada em estado grave. Os problemas de saúde que ela já tinha, como glicose alta e renais, foram agravados pela Covid-19, segundo a cunhada dela. “O médico explicou pra gente que o vírus vai no ponto fraco da pessoa, onde a pessoa tiver com aquela deficiência, o vírus agrava o caso da pessoa” – relata Camille. Nesta quinta (07) a família foi informada de que o quadro clínico era de morte cerebral, já nesta sexta (08) o coração parou de bater. “O neném está muito bem. Minha sogra teve alta no dia 31, está recuperada da Covid, mas infelizmente a minha cunhada nós perdemos” – disse Camille. Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram o falecimento de Tatiane, que era muito querida e atuante na Capela de Santa Terezinha, no bairro onde morava.

VEJA MAIS

VEJA MAIS