segunda-feira , 26 outubro 2020
Dados são do IBGE, que divulgou hoje as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros

Macuco é o município com menor número de habitantes do Estado do Rio

São Fidélis tem 38.626 habitantes Fotos: Reprodução

O IBGE divulgou nesta quarta-feira (29/08) as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho de 2018. Estima-se que o Brasil tenha 208,5 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento populacional de 0,82% entre 2017 e 2018.

O Rio de Janeiro ocupa o posto de terceiro estado mais populoso do Brasil, com 17,2 milhões de habitantes – São Paulo aparece em primeiro e Minas Gerais em segundo. O município mais populoso do Estado é o Rio, com 6.688.927 habitantes. Já a cidade com menor número de habitantes é Macuco, na Região Serrana, que tem 5.574 moradores.

Na região, Campos dos Goytacazes é o município com maior número de habitantes: 503.424. Quando se excluem as capitais, a cidade também é uma das mais populosas do país, aparecendo na 25ª posição. Ainda no Norte Fluminense, Macaé é a segunda cidade mais populosa com 251.631 habitantes. São Fidélis tem 38.626 habitantes e Cardoso Moreira 12.826.

Em nossa área de cobertura, Nova Friburgo é a mais populosa na Serra com 190.084 moradores. Em seguida aparece Bom Jardim com 27.269, Cordeiro com 21.806, Cantagalo com 20.177, Santa Maria Madalena com 10.417, São Sebastião do Alto com 9.326 e Macuco.

No Noroeste, Itaperuna se destaca com 102.626, seguida de Pádua com 42.359, Bom Jesus do Itabapoana com 36.985, Miracema com 27.195, Itaocara com 23.247, Cambuci com 15.496, Italva com 15.113 e Aperibé com 11.612.

As populações dos municípios foram estimadas por um procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010). As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

Mais do SFn