Justiça Eleitoral e PM debatem segurança pública para as eleições municipais em São Fidélis

Reunião foi considerada produtiva em prol da organização de um pleito sem intercorrências. Demandas serão encaminhadas ao juiz Otávio Mauro Nobre
Fotos: SF Notícias

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira (28/10) integrantes da 35ª Zona Eleitoral de São Fidélis, no Norte Fluminense, a promotora da Justiça Eleitoral, Dra. Adriana Garcia e policiais militares que atuam na 4ª CIA da Polícia Militar discutiram como se dará a atuação da PM em conjunto com as equipes do TRE-RJ nas eleições municipais. Entre as pautas discutidas estavam o transporte dos agentes, a alimentação, o horário e data de distribuição das urnas, a definição de um itinerário e como se dará o recolhimento das mídias ao final da votação. “A reunião de hoje foi produtiva em prol da organização de um pleito sem intercorrências. A Polícia Militar vai estar à disposição para estar acautelando todas as urnas e todos os locais de votação, para manter inclusive a questão do distanciamento social. É importante anunciar que o TRE está disponibilizando toda a segurança relacionada à álcool gel, as mesas terão divisórias. A única orientação é que cada um tenha sua caneta, para evitar que tenha mais um ponto de contaminação” – destacou a promotora. (continua após a publicidade)

O chefe do cartório eleitoral, Fábio Gentil, que compareceu à reunião em nome do juiz Dr. Otávio Mauro Nobre, também destacou que em alguns locais haverá fluxos de entrada, permanência e saída diferentes, como no Barão de Macaúbas, o maior colégio eleitoral do município. Para evitar aglomerações, por exemplo, das 5 mil pessoas que votariam no CIEP, 2.500 votarão no Colégio Estadual Montese. Questionados se existe alguma preocupação em relação às eleições eles destacaram que a maior delas é com a participação dos eleitores. “A preocupação é não existir um pleito efetivamente legítimo. Legítimo no ponto de ter uma expressiva votação e ser eleito alguém que realmente represente a vontade do povo naquele momento” – disse a promotora, destacando a possibilidade de os eleitores terem o título de eleitor no aplicativo e-Título. As demandas da reunião desta quarta serão encaminhadas ao juiz Otávio Mauro Nobre.

VEJA MAIS

VEJA MAIS