terça-feira , 22 setembro 2020

Jovens do Degase, na RJ-158, vão ter aulas para cultivo de peixes e rãs O objetivo é qualificar até 384 socioeducandos ao final de dois anos. Parte da receita obtida com a venda da produção será reinvestida em projetos de esporte e cultura no Cense

O objetivo é qualificar até 384 socioeducandos ao final de dois anos. Parte da receita obtida com a venda da produção será reinvestida em projetos de esporte e cultura no Cense

Foto: divulgação

Um termo de cooperação técnica assinado entre o Degase e o Instituto Cooperar permitirá a implantação do projeto ‘Jovens que Sonham’ no Centro de Socioeducação (Cense) Marlene Henrique Alves, localizado às margens da RJ-158, entre Campos e São Fidélis. A ideia é qualificar profissionalmente jovens que cumprem medidas socioeducativas para que possam aprender o cultivo e reprodução de peixes e rãs no curso de Técnicas de Aquicultura, Pesca e Processamento de Pescados. Os adolescentes vão poder assistir às aulas no contraturno, sem prejuízo das aulas e de suas outras atividades. O Cense Campos foi selecionado para o projeto por estar trabalhando com o conceito de ‘unidade vocacionada’, que vivencia o agronegócio, e na área livre do Cense poderão ser instalados os 15 tanques onde os 76 jovens vão estudar durante seis meses. O objetivo é qualificar até 384 socioeducandos ao final de dois anos. (continua após a publicidade)

O diretor da unidade, Lucas Terra, afirmou que era fácil tirar palavras do coração. “Um projeto dessa grandiosidade será um divisor de águas no Degase, no Estado do Rio e no Brasil. Posso garantir que haverá toda a dedicação do Cense Campos para que o projeto flua da melhor maneira possível e beneficie os jovens”, concluiu. O presidente do Instituto, professor Hélcio Costa, afirmou que os jovens perderam a capacidade de sonhar. “O modelo que eles têm é um modelo perverso, que lhe tira a capacidade e possibilidade de sonhar. Eu tenho uma frase gosto muito que diz que a maior de todas as injustiças é tirar do homem a esperança, e tirar dos jovens o seu sonho. Por isso, sinto uma responsabilidade imensa, pois vamos cuidar dos sonhos desses Jovens”, salientou. De acordo com o Instituto, parte da receita obtida com a venda da produção será reinvestida em projetos de esporte e cultura na unidade. A previsão é que as obras para a instalação dos tanques comecem em 45 dias.

Mais do SFn