Jovem morre em hospital de São Fidélis e laudo aponta notificação para Covid-19; família contesta Segundo uma prima de Israel, ele estava com dor no dente que evoluiu para uma infecção, mas o quadro piorou e ele foi levado para a UTI, e acabou falecendo neste sábado (04). O hospital informou que o quadro do paciente levou a equipe médica a também abrir investigação para Covid-19

Segundo uma prima de Israel, ele estava com dor no dente que evoluiu para uma infecção, mas o quadro piorou e ele foi levado para a UTI, e acabou falecendo neste sábado (04). O hospital informou que o quadro do paciente levou a equipe médica a também abrir investigação para Covid-19

Fotos: Divulgação familiares

A família do jovem Israel Rezende Amaral, de 19 anos, que faleceu neste sábado (04/04) no Hospital Armando Vidal, em São Fidélis, contesta uma notificação feita pela unidade no laudo da morte do jovem. O laudo aponta Empiema Pleural, Choque Séptico, Pneumonia Bacteriana, Asma e notificação para Covid-19 como possíveis causas da morte, só que a família contesta a notificação de suspeita para coronavírus, já que isso impediria a família de fazer um velório convencional. Ao SF Notícias, uma prima do jovem disse que ele procurou o hospital no dia 16 de março com dor de dente e dores abdominais. Segundo Eliana Amaral, foi feito um pedido de ultrassom e foram passados anti-inflamatórios, sendo o jovem liberado. Ainda segundo ela, a ultrassom não constatou nenhuma anormalidade. Eliana disse ainda que dias depois o dente voltou a doer mais forte e a face do jovem ficou muito inchada. Ele então procurou um médico particular que pediu um exame, que constatou uma infecção. O médico então pediu a internação do jovem. (continua após a foto)

Ainda segundo a prima de Israel, a família chegou a procurar um dentista, mas como ele estava com infecção, o profissional disse que não poderia mexer naquele momento, já que o dente estava muito inflamado. O quadro clínico do jovem piorou e a infecção passou para o sangue e depois para o pulmão. Israel foi levado em estado grave para o CTI. Ainda de acordo com a prima dele, o jovem ficou cerca de três dias internado na enfermaria antes de ser encaminhado para o CTI da unidade, onde não resistiu e morreu neste sábado (04). Com o falecimento do jovem, Eliana procurou uma funerária e descobriu através do funcionário da empresa que havia uma notificação para caso suspeito de Covid-19 na guia de óbito. Foi aí que um funcionário da funerária explicou para ela que o velório teria restrições de horário e de pessoas, e que o caixão teria que ficar fechado, seguindo recomendações da Anvisa. A empresa tomou todas as medidas de prevenção seguindo as recomendações dos órgãos de controle, e a família, por prevenção, decidiu fazer o velório na frente do cemitério para evitar aglomerações. (continua após a publicidade)

Eliana contou ainda que ao sair da funerária voltou ao hospital para contestar a notificação de suspeita para Covid-19. A família também chegou a procurar a delegacia da cidade e contratar um advogado para acionar a Justiça. Eliana ressaltou ainda que o jovem não deu entrada no hospital com nenhum sintoma suspeito de Covid-19. “Aí eu falei. Se vocês colocaram isso aí, ele pegou dentro do CTI então”, disse ela. Ao SF Notícias a direção do hospital disse que o jovem deu entrada por infecção bacteriana, que depois evoluiu para insuficiência respiratória e agravamento do caso, levando a equipe médica a também abrir investigação para o COVID 19. “Era um caso suspeito, ainda não saiu o resultado laboratorial”, disse a direção da unidade.

Mais do SFn