Instituto Evandro Chagas confirma primeiros casos da variante indiana da Covid-19 no Brasil

Variante indiana foi identificada em tripulantes do navio MV Shandong Da Zhi. A embarcação está ancorada no estado do Maranhão

O Instituto Evandro Chagas (IEC), órgão ligado a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), confirmou em nota técnica emitida nesta quarta-feira (19/05) a presença da linhagem B.1.617 do SARS-CoV-2, conhecida como variante indiana, em seis tripulantes no Navio MV SHANDONG DA ZHI que está ancorado no estado Maranhão. Segundo o Instituto, o trabalho de investigação para a descoberta da nova cepa, além de outras variantes, envolve o sequenciamento genômico e é atribuição do Laboratório de Vírus Respiratórios da Seção de Virologia do IEC, como Centro Nacional de Influenza (NIC em inglês) da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Os casos de COVID-19 ocorridos no Navio MV SHANDONG DA ZHI foram notificados a SES-MA pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que por meio do LACEN-MA, realizou a coleta de amostras de secreção respiratória de 24 tripulantes. Do total de amostras analisadas pelo LACEN-MA e concomitantemente pelo LVR-IEC, 15 mostraram-se positivas para SARS-CoV-2 e destas, seis atendiam os critérios para a realização do sequenciamento genômico, para a investigação da linhagem viral” – informou o IEC.

A linhagem B.1.617, consiste em três sub-linhagens, sendo elas: B.1.617.1, B.1.617.2 e B.1.617.3. Esta linhagem foi recentemente reclassificada pela Organização Mundial da Saúde como sendo uma Variante de preocupação (VOC-Variant of Concern).  Nas seis amostras analisadas foi identificada a sub-linhagem B.1.617.2, a qual tem se dispersado com mais eficácia atualmente, já tendo sido descrita em diversos países ao redor do mundo. “Vale ressaltar que são os primeiros casos desta variante no Brasil, contudo tratam-se de casos importados e as medidas de contenção estão sendo executadas pelos órgãos competentes” – destacou o Instituto.

 

VEJA MAIS

VEJA MAIS