Impeachment: Acusação entrega alegações finais e conclui que houve crime de responsabilidade

Parlamentares pedem a condenação de Witzel por crime de responsabilidade. O governador afastado disse que: "todas as denúncias e este processo são ficções jurídicas e perseguição política que eu e minha família sofremos"

Denunciantes do processo de impeachment do governador do Rio de Janeiro afastado, Wilson Witzel, os deputados Luiz Paulo (Cidadania) e Lucinha (PSDB) entregaram na última quinta-feira (08/04) as alegações finais. Os parlamentares pedem a condenação de Witzel por crime de responsabilidade. As alegações foram entregues no primeiro dia do prazo, que é de dez dias para a entrega. A defesa de Witzel possui agora o mesmo prazo, para também apresentar suas alegações finais.

Luiz Paulo falou sobre os fundamentos que levaram a acusação a concluir pelo crime de responsabilidade. Neste processo há dois casos mais emblemáticoso da Unir Saúde e do Instituto IabasA Unir foi requalificada pelo governador em um ato de ofício, contrariando os pareceres de duas secretarias. No caso Iabas, foram os gestores que ele nomeou que contrataram a organização social para construir sete hospitais de campanha, por cerca de R$ 850 milhões. Dessas sete unidades, apenas a do Maracanã funcionou de forma efetiva, e mesmo assim precariamente”, destacou o parlamentar.

O denunciante também comentou o papel de Witzel na construção dos hospitais de campanha e a corrupção na pasta da Saúde. “Quem quis e anunciou que os hospitais seriam construídos foi o governador afastado. Diante disso, verificamos que houve o crime de responsabilidade. Os réus confessos falaram no processo que a exceção na secretaria estadual de Saúde era não ter corrupção, a regra era ter“, argumentou o deputado.

O governador afastado, Wilson Witzel, usou as redes sociais para se pronunciar sobre o processo. “Na quarta-feira foi a última fase de instrução do processo de impeachment que sofro no Tribunal Especial Misto no TJRJ. Todas a denúncias e este processo são ficções jurídicas e perseguição política que eu e minha família sofremos; como disse no TEM, por eu jamais ter interferido na Polícia Civil do Rio de Janeiro, especialmente no caso Marielle e por ter tido a coragem de ser o primeiro governador a enfrentar a pandemia, e fazer o correto: medidas restritivas de circulação. No final daquela sessão uma frase do denunciante o deputado @luizpaulo_dep chamou atenção, que entregaria as alegações finais em 48 horas, quando prazo seria de até 10 dias. Deputado, tá feio e escancarado o GOLPE, Vossa Excelência que é engenheiro não tem nem noção que para qualquer profissional do Direito isto demonstra que suas alegações já estavam prontas antes de quarta-feira, e que na quarta-feira o senhor só quis dar mais um show no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Mas a história é quem faz justiça nesse país, olhe para os que denunciaram os ex-presidentes da República, este é o seu futuro”, publicou Witzel.

VEJA MAIS

VEJA MAIS