Friburgo registra mais de 50 casos de Covid-19 em 24h; Unimed divulga nota alertando a população

Segundo a nota da Unimed, os casos de doentes com Covid-19 vêm sofrendo significativo aumento ao longo de novembro, já alcançando o maior número de infectados desde o início da pandemia em um único mês
Foto: Divulgação/ Unimed Friburgo

Assim como em outras cidades da região, Nova Friburgo, na Serra do Rio, também tem registrado um aumento no número de casos de Covid-19. Em 24 horas – entre terça e esta quarta (25) – 57 novos casos da doença foram registrados no município. Ao todo, 4.543 pessoas foram diagnosticadas com a doença, sendo 504 profissionais de saúde, 04 faleceram. De acordo com o boletim epidemiológico publicado nesta quarta (25), 2.044 pessoas já se recuperaram e 173 morreram, deixando o município com 2.326 casos ativos no momento. Há ainda 24 casos suspeitos em investigação, sendo 14 pessoas em isolamento domiciliar, 07 em isolamento hospitalar e três óbitos suspeitos. Segundo o boletim da taxa de ocupação de leitos Covid-19, até às 18h desta quarta o Hospital Municipal Raul Sertã (leitos regulados pelo SUS) registrava 52,6% de ocupação nos leitos de enfermaria (10 ocupados dos 19 disponíveis) e de 15% na UTI Covid-19, três leitos ocupados dos 20 disponíveis. No Hospital da Unimed a ocupação era de 100% nos leitos de enfermaria e 80% nos de UTI. No Hospital São Lucas, dois leitos de enfermaria (11,1%) estavam ocupados e a ocupação era de 30% na UTI. Já no Hospital Serrano a ocupação era de 20% nos leitos de enfermaria e 50% nos de UTI.

Diante do aumento de casos, o Hospital Unimed do município divulgou uma nota alertando a sociedade friburguense sobre o avanço da Covid-19. “A Unimed Nova Friburgo, através de seu Hospital, informa que os casos de doentes com Covid-19 vêm sofrendo significativo aumento ao longo de novembro, já alcançando o maior número de infectados desde o início da pandemia em um único mês” – diz trecho da nota. A entidade solicitou que a população continue adotando as medidas de distanciamento, de higienização, além do uso de máscaras e de evitar aglomerações em locais onde existam pessoas sem máscara. “Reforçamos que este é o mês com maior número de casos, bem acima do recorde que aconteceu entre julho e agosto, e que isso se deve, ao menos em parte, ao relaxamento das ações de prevenção por parte da população em geral. Assim, reforçamos a necessidade urgente e séria da adoção sistemática das medidas preventivas, citadas acima, e que estamos firmes no propósito de cuidar de nossos clientes, mas que é necessário um esforço de toda a sociedade” – destaca a Unimed na nota.

VEJA MAIS

VEJA MAIS