segunda-feira , 26 outubro 2020
Foto: Montagna Filmes

Friburgo já contabiliza mais de 2.150 casos de Covid-19, sendo 93 mortes; bandeira amarela está em vigor As bandeiras agora terão validade de 14 dias. Na amarela, estabelecimentos comerciais podem funcionar aos sábados

As bandeiras agora terão validade de 14 dias. Na amarela, estabelecimentos comerciais podem funcionar aos sábados

Fotos: Divulgação

Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, registrou 56 novos casos de Covid-19 e confirmou mais três mortes de pacientes diagnosticados com a doença entre a última sexta-feira e esta segunda (24). Segundo o boletim epidemiológico publicado pela Prefeitura, são 2.154 casos confirmados, sendo que 325 são profissionais de saúde (dois faleceram); 969 pessoas já se recuperaram e 93 morreram em decorrência da doença. O município tem 1.092 casos ativos no momento, além de 60 casos suspeitos – 47 em isolamento domiciliar, 08 internadas e 05 mortes – sob investigação. Após um mês de avaliações, a Prefeitura através do COE (Comitê Operativo de Emergência em Saúde), atualizou e consolidou os critérios de avaliação das métricas para estabelecimento das bandeiras, que agora terão validade de 14 dias. Com isso, Nova Friburgo estará em “Bandeira Amarela” até o dia 6 de setembro. (continua após a publicidade)

Na Bandeira Amarela, estabelecimentos comerciais podem funcionar das 10 horas às 20 horas, de segunda a sábado. Restaurantes, bares, lanchonetes e estabelecimentos congêneres podem funcionar com até 70% da capacidade máxima de ocupação. (confira todas as determinações AQUI) Segundo o boletim da taxa de ocupação de leitos Covid-19, até às 18h desta segunda o Hospital Municipal Raul Sertã registrava 94,7% de ocupação nos leitos de enfermaria (18 ocupados dos 19 disponíveis) e de 40% na UTI, oito leitos ocupados dos 20 disponíveis. No Hospital da Unimed a ocupação era de 28,6% nos leitos de enfermaria (6 leitos) e 50% nos de UTI (5 leitos). No Hospital São Lucas, seis leitos de enfermaria (30%) estavam ocupados e a ocupação era de 50% na UTI. Já no Hospital Serrano a ocupação era de cinco leitos de enfermaria (50%) e dois de UTI (100%).

Mais do SFn