Estado faz licitação para cinema em Bom Jardim, São Fidélis e Miracema, e retoma obras em Cordeiro

Construção dos complexos foi anunciada em 2014. Cada espaço prevê a geração de pelo menos 300 empregos diretos e indiretos
Projeto São Fidélis / Foto: arquivo SF Notícias

Já está virando uma novela, mas parece que agora realmente o complexo de cinema de São Fidélis irá sair do papel. Anunciado em 2014, o complexo com duas salas de cinema faz parte do projeto “Cinema da Cidade”, uma parceria da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, do Ministério da Cultura (MinC), da Ancine (Agência Nacional do Cinema) e da Caixa Econômica Federal. O objetivo do programa é construir ou reformar cinco salas de cinema em Cordeiro, São Pedro da Aldeia, São Fidélis, Miracema e Bom Jardim. Em abril do ano passado, o Secretário Estadual de Cultura, Ruan Lira, esteve em São Fidélis e anunciou que as obras no município iriam começar naquele ano, mas não foi o que aconteceu. Já em julho, o governador Wilson Witzel chegou a publicar um vídeo dizendo que estava assinando o contrato para construção dos complexos nesses municípios. (continua após a publicidade)

Foto: arquivo SF Notícias

Nesta sexta-feira (19/06), Dia do Cinema Nacional, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro anunciou a retomada das obras do complexo em Cordeiro, o primeiro que será inaugurado. Por lá, as obras foram iniciadas em agosto de 2019 e paralisadas por causa da pandemia. A previsão para o término do serviço é no primeiro semestre de 2021. As demais cidades estão no processo de licitação. Em relação ao complexo de São Fidélis, o estado informou que o processo de licitação está sendo finalizado e será publicado nos próximos dias no Diário Oficial do Estado. No total, o investimento será de mais de R$ 18,750 milhões (80% de contrato de repasse da União e 20% de contrapartida do Estado). Cada complexo exibidor terá duas salas com capacidade total para 168 lugares – em Bom Jardim, já existe uma sala com capacidade para 300 pessoas. O recurso da parceria já estava disponível há alguns anos, e o projeto foi reativado pela atual gestão da Sececrj, antes do início da pandemia do novo coronavírus. (continua após a publicidade)

“Fomentar a cultura em todos os 92 municípios do estado é o nosso principal objetivo nesta secretaria. Para concretizar isso, nossa equipe trabalha muito diariamente em busca de parcerias. O cinema é uma das formas de artes mais populares do mundo e a população dessas cidades vão ter a oportunidade de assistir os lançamentos bem perto de casa”, disse Danielle Barros, secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio. As salas de exibição também fomentam a economia local. Cada espaço do Cinema da Cidade prevê a geração de pelo menos 300 empregos diretos e indiretos, com uma plateia de 80 mil espectadores por ano. “O setor de audiovisual é muito amplo no Rio. Há espaço para cada vez mais produções e salas de exibição em todo o estado. O que fomenta a economia, com a geração de empregos direta e indiretamente”, comenta Vinicius Azevedo, superintendente de Audiovisual da Sececrj.

VEJA MAIS

VEJA MAIS