terça-feira , 20 outubro 2020

Escravos: Polícia Civil investiga mortes em fazenda de São Fidélis

cativeiro foto vinnicius cremoenz 3
Fotos: Vinnicius Cremonez/ Carlos Grevi – Ururau

Após um dos trabalhadores ter fugido de uma fazenda em Angelim, localidade de Pureza, terceiro distrito de São Fidélis, veio à tona uma história que surpreendeu todos quando homens da Polícia Civil de São Fidélis e Campos estouraram um cativeiro na tarde do dia 26 de abril e descobriram que homens eram mantidos em condições análogo à escravidão presos em um quarto há dez anos.

Naquela época em depoimento, as vítimas Roberto de Oliveira, de 36 anos, Davi Pereira Ferreira, 38 anos, ambos de São Fidélis, Cirlei Rodrigues Moreira, de 36 anos, de Itaperuna e Romério Mota Rosa, de 26 anos, morador de Campos (Foto), disseram que recebiam ameaças quando manifestavam o desejo de ir embora, e um deles disse que foi agredido várias vezes. VITIMASA última vítima a ser recrutada, passou oito anos no cativeiro e o mais antigo, 14 anos. As vítimas não possuíam carteira assinada e não recebiam nada pelo trabalho, além de viverem numa situação sub-humana, recebendo uma ou duas refeições por dia. O cenário encontrado era de muita sujeira e até porcos tinha no local. Dois dias depois, policias voltaram ao local para resgatar o senhor Manoel Pereira Ferreira, de 75 anos, que passou 30 anos na fazenda e ficou cego, sendo retirado do local onde eram mantidos os demais trabalhadores. Manoel (Foto abaixo) é pai de Davi Pereira Ferreira, de 38 anos, uma das vítimas do fazendeiro.

adbiuwhfinpowUma informação de que dois homens teriam morrido na fazendo enquanto eram mantidos nas mesmas condições que os demais, está sendo investigada pela Polícia Civil. As vitimas segundo uma reportagem do jornal extra, seriam Eleandro da Conceição Santos, que teria falecido em 2001, e Adenir Silva da Costa, em 2009. Os dois seriam responsáveis por fazer a comida do grupo e seus familiares não possuem documentos comprovando a morte e nem sabem onde estaria os corpos.

Em entrevista a nossa redação, o delegado titulas da 141º Delegacia Legal de São Fidélis, confirmou a morte de um trabalhador no local, mas disse que isso não significa que o corpo esteja na fazenda. O delegado não pode passar mais informações para não atrapalhar as investigações.

safrgthtNossa redação entrou em contato com o Ministério Público Federal, que confirmou que existe um processo tramitando no órgão, e que se o procurador  solicitar um mandado de busca e apreensão, diligencias podem ser feitas na fazenda.

O proprietário da fazenda  identificado como Paulo Cezar Azevedo Girão, de 59 anos, o filho Marcelo Conceição Azevedo Girão, de 33 anos, e o caseiro Roberto Melo da Araújo, de 38 anos, foram presos em flagrante e encaminhados para a 141ª delegacia de São Fidélis, onde começou a ser feito o registro da ocorrência, e posteriormente foram encaminhados para a 134ª DP em Campos. Todos vão responder por crime de restrição a condição análoga a de escravo e podem pegar de dois a oito anos de reclusão, mas a pena pode ser aumentada se for confirmado que outros crimes ocorreram na fazenda, como tortura e até formação de quadrilha.

gsxbiwusabofv

Mais do SFn