Em 26 dias Pádua registrou mais de 270 casos de Covid-19, sendo três mortes Foram 276 casos confirmados entre 1º e 26 de junho. Número é preocupante, já que em maio foram confirmados 80 casos, sendo uma morte

Foram 276 casos confirmados entre 1º e 26 de junho. Número é preocupante, já que em maio foram confirmados 80 casos, sendo uma morte

Foto: Felipe Sião Filmes

O município de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, contabiliza mais de 360 casos confirmados do novo coronavírus, sendo 276 deles registrados em 26 dias (de 1º a 26 deste mês), incluindo três mortes. Os dados preocupam já que mostram um avanço da disseminação do vírus ao longo do mês de junho. Para se ter uma ideia, em maio foram registrados 80 casos, sendo uma morte, o que indica um aumento de 245% dos casos em junho. Segundo dados dos boletins epidemiológicos divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, desde o dia 1º de junho o município vem registrando mais de 10 novos casos diariamente; isso só não ocorreu apenas em três dias. O gráfico abaixo mostra a evolução diária dos casos. Somente nos primeiros nove dias do mês de junho, mais de 100 casos foram confirmados. Ao todo, são 364 casos foram confirmados no município entre o dia 17 de abril, quando foi registrado o primeiro caso, e o dia 26 de junho, sendo cinco mortes. A primeira morte foi confirmada no dia 30 de abril. No dia 28 de maio foi confirmada a segunda morte, e, apenas quatro dias depois, foi confirmada a terceira morte. A quarta morte foi confirmada no dia 10 de junho e a quinta no dia 23 de junho. O avanço da Covid-19 em Pádua, município com população estimada de 42.479 em 2019, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é um exemplo da interiorização da epidemia. Atualmente, Pádua é o segundo município com maior número de casos confirmados no Noroeste Fluminense, atrás apenas de Itaperuna. (continua após a imagem)

Na última semana, o prefeito de Pádua, Josias Quintal falou sobre a possibilidade de reabertura dos estabelecimentos comerciais, que permanecem fechados desde março, a partir do dia 1º de julho. A flexibilização estudada pela administração municipal também prevê a retomada das atividades em templos religiosos. Com a reabertura, todos os estabelecimentos deverão adotar medidas de prevenção à Covid-19, como disponibilização de meios para higienização das mãos, obrigatoriedade do uso de máscaras pelos clientes, além do distanciamento social. Tais medidas também precisam continuar sendo seguidas pela população, para desacelerar a disseminação no município. O prefeito afirmou ainda que, se os casos continuarem aumentando no município, medidas restritivas deverão ser novamente adotadas, inclusive com possibilidade de lockdown. Do total de casos registrados em Pádua, 230 moradores já se recuperaram da doença. São pessoas que não apresentam mais sinais ou sintomas e foram liberadas para retornar as suas atividades cotidianas. De acordo com o último boletim epidemiológico, até a última sexta-feira havia cinco pessoas internadas. (continua após a publicidade)

Entre os pacientes internados está um homem diagnosticado com a doença, que foi transferido de helicóptero do município para um hospital de campanha no Rio de Janeiro. A transferência ocorreu na manhã de sábado (27). Segundo a secretária municipal de saúde e saneamento de Pádua, Evaléria Caetano Jobim Prado, o paciente foi levado para o hospital de Campanha Lagoa-Barra, instalado no Leblon, Zona Sul do Rio. A unidade é exclusiva para pacientes do SUS diagnosticados com o coronavírus que tenham sido encaminhados pela Secretaria Estadual de Saúde, através do sistema de regulação do estado. O hospital foi construído em um terreno do Governo do Estado, mas é mantido pela iniciativa privada. O homem foi transferido em uma maca bolha, cápsula hermeticamente isolada que garante a segurança da equipe médica e dos agentes envolvidos na transferência.

Mais do SFn