De olho no céu: eclipses, superluas e outros eventos astronômicos para observar em 2021

Para os amantes da astronomia 2021 promete grandes espetáculos no céu; veja as datas

Imagem: NASA/Joel Kowsky

O último ano foi marcado por belos eventos astronômicos, como chuvas de meteoros, superluas e a incrível conjunção entre Júpiter e Saturno, que não acontecia há séculos. Entretanto, 2021 não vai deixar a desejar. Ao longo do ano, serão quatro eclipses, mas apenas dois serão vistos parcialmente na América Latina. Entre esses, o eclipse lunar total de 26 de maio e o eclipse lunar parcial de 19 de novembro. Também haverá três superluas, que é quando o astro, em sua fase cheia, se encontra no ponto de sua órbita mais próximo à Terra. A primeira será em abril, no dia 08, Superlua “Rosa”. Em maio será a Superlua “Flores”, no dia 26 e em junho, no dia 24, a Superlua “Morango”.

Chuvas de meteoros também prometem atrair olhares para o céu em 2021. Elas acontecem quando na órbita do nosso planeta em torno do Sol, atravessamos uma região que um cometa já passou. Esses corpos celestes deixam um rastro de detritos para trás. Ao entrar em nossa atmosfera, eles criam o fenômeno que chamamos de “estrelas cadentes”. Confira as datas:
22-23/04 – Líridas
6-7/05 – Eta Aquarídeos
28-29/07 – Aquarídeos delta
12-13/08 – Perseidas
07/10 – Draconídeos
21-22/10 – Orionidas
4-5/11 – Taurídeos do Sul
17-18/11 – Leônidas
13-14/12 – Geminidas
21-22/12 – Ursidas

Outro fenômeno será a conjunção de planetas, quando os corpos celestes parecem estar muito próximos quando observamos da Terra. Esse ano terá uma formação quádrupla: Mercúrio, Júpiter e Saturno estarão em um alinhamento quase perfeito, enquanto a lua crescente será o quarto elemento no céu. Esse fenômeno acontecerá nos dias 9 e 10 de março. Já no dia 12 de julho acontece a conjunção entre Marte e Vênus e no dia 18 de agosto, a conjunção entre Marte e Mercúrio. Haverá ainda uma “oposição de planetas”, que na astronomia significa que dois astros estão em pontos opostos quando olhamos da Terra. Ou seja, é formado uma linha de 180° em que uma ponta está o Sol, no centro, a Terra e na outra ponta um outro astro. Alinhados, a distância entre o Sol, a Terra e o terceiro astro é a menor possível. Isto facilita a observação do astro no céu. Neste ano quatro planetas ficarão em oposição: Saturno em 8 de agosto, Júpiter no dia 19 de agosto, Netuno no dia 14 de setembro e Urano, no dia 5 de novembro.

VEJA MAIS

VEJA MAIS