De estagiária aos melhores das Américas: jovem de São Fidélis é destaque na indústria siderúrgica

Laryssa Ramos ficou entre os cinco melhores das Américas, no “Steel Challenge”, desafio mais importante da indústria siderúrgica promovido pela World Steel Association
Fotos: Divulgação/ Ternium Brasil

O município de São Fidélis, no Norte Fluminense, está sempre revelando grandes talentos em diversas áreas, como a Laryssa de Jesus Ramos, de 24 anos. Ela é destaque na empresa siderúrgica Ternium e recentemente ficou entre os melhores das Américas, no “Steel Challenge”, desafio mais importante da indústria siderúrgica promovido pela World Steel Association. A competição é dividida por regiões geográficas e Laryssa, do Lingotamento Contínuo e a Carolina Beltrame, da área de Engenharia Industrial, também da Ternium, ficaram entre os cinco melhores. Em 2020, não houve nenhuma mulher entre os mais bem classificados. De acordo com a empresa, as duas participaram pela primeira vez do desafio.

Ao SF Notícias, a fidelense Laryssa falou sobre sua trajetória na Ternium. “Em agosto de 2015 iniciei o curso de Engenharia de Materiais na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, para isso precisei me mudar para Seropédica. Em julho de 2019 eu iniciei meu estágio na Ternium, no lingotamento contínuo de placas de aço. Em novembro de 2020 eu fui efetivada na empresa, como Jovem Profissional, que é o programa de trainee da Ternium” – conta. Na Cidade Poema, a jovem estudou em dois colégios particulares e terminou o Ensino Médio no Instituto Federal Fluminense, onde também se formou no curso Técnico em Química.

Já sobre sua função ela explica que trabalha com a parte de Engenharia de processos, avaliando as condições de máquina (Gap, alinhamento e refrigeração) para o lingotamento. “Participo do desenvolvimento de novos aços, garantindo as melhores práticas de produção no lingotamento. Faço as análises de falha durante o processo e participo do desenvolvimento de projetos” – relata. Ela conta ainda que a empresa a incentivou a participar da competição internacional, na qual pessoas de várias siderúrgicas participam. “Foi uma experiência de muito aprendizado” – destaca a fidelense, que é a 5ª colocada das Américas.

VEJA MAIS

VEJA MAIS